• 1976 a 1984: A Era de Ouro

      O período mais vitorioso da história rubro-negra

      Durante esses anos, o destaque ficou por conta das conquistas do futebol. Com uma geração extremamente talentosa, o Flamengo conquistou o Brasil, a América e o mundo. Liderados por Zico, o grupo rubro-negro encantou o país com um futebol vistoso e eficiente, desde as jogadas trabalhadas às faltas cobradas com perfeição pelo camisa 10 e ídolo máximo da história do Mais Querido.

      1975 a 1977: A formação do esquadrão.

      Durante esse período, o Flamengo começou a formar a equipe que renderia muitos frutos nos anos que se seguiriam. Em 1975, o goleiro Cantareli, cria da base rubro-negra, começou a ganhar mais chances na equipe titular e veio a firmar-se na posição. Também naquele ano, Luisinho Lemos deixou o América para vestir o Manto Sagrado. Na sequência, muitos jovens atletas que vinham impressionando nas categorias de base juntaram-se ao elenco principal. Atletas como Andrade, Adílio e Tita marcaram seus nomes na história do clube com contribuições significativas nas conquistas que estavam por vir.

      Nos esportes olímpicos, a hegemonia rubro-negra no remo roubou os holofotes. Comandados pelo lendário Buck, o time sagrou-se Heptacampeão Carioca em 1977. O Flamengo conquistou também o primeiro título carioca em um esporte em que se tornaria a maior potência do país: a ginástica olímpica.

      No basquete, o Flamengo conquistou o Campeonato Estadual nas categorias masculino adulto por duas vezes, em 1975 e 1977, sendo a segunda em uma final emocionante contra o Vasco. Já no vôlei, mais uma conquista estadual no masculino adulto, em 1977.

      1978 a 1979: O Tricampeonato Estadual.

      O terceiro Tricampeonato Carioca de futebol do Flamengo aconteceu de maneira emocionante. A trajetória começou em setembro de 1978. Após uma série de amistosos internacionais disputados pela equipe rubro-negra, ocorreu a estreia na competição. A garotada, já comandada por Zico, mostrou todo seu potencial com um expressivo 6 a 0 sobre o São Cristóvão, que veio seguido de um 5 a 0 no confronto contra a equipe do Campo Grande.

      O time embalou e seguiu invicto até última rodada da Taça Guanabara, quando perdeu para o Fluminense, mas, mesmo assim, ficou com o título. A história se repetiu no segundo turno, porém sem a derrota no último confronto. Na final do campeonato, contra o Vasco da Gama, o Mais Querido venceu com um gol de cabeça do zagueiro Rondinelli nos minutos finais do segundo tempo. O 1 a 0 garantiu o título do segundo turno, e, consequentemente, o do campeonato.

      No ano de 1979, devido à demora da Confederação Brasileira de Desportos a organizar o Campeonato Brasileiro, foram disputados dois Estaduais. O primeiro, posteriormente chamado de Estadual Especial, foi dividido em três turnos. A caminhada começou com uma vitória sobre o Volta Redonda por 2 a 0. No jogo que veio em seguida, contra o América e que foi vencido pelo Mais Querido por 4 a 0, foram inaugurados os placares eletrônicos do Maracanã. Outro evento marcante daquela temporada foi a marca de 245 gols alcançada por Zico, ultrapassando Dida e tornando-se o maior artilheiro da história do Flamengo.

      Pouco tempo depois, foi organizado no Maracanã um jogo amistoso para ajudar as vítimas das enchentes que inundaram Minas Gerais. Na partida, Pelé vistiu a camisa 10 do Flamengo cedida por Zico, que utilizou a 9. Os 139.953 torcedores pagantes viram a vitória rubro-negra por 5 a 1, com gols de Zico por duas vezes, Júlio César Uri Geller, Luisinho e Cláudio Adão.

      De volta ao Campeonato Carioca, o Flamengo venceu o Botafogo por 3 a 0, com gols de Zico, Carpegiani e Luisinho para decidir o primeiro turno. Já no segundo, a boa forma é mantida pela equipe, que passa com facilidade pelos adversários. Na fase final do campeonato, o rubro-negro venceu o Vasco por 2 a 1 e, na partida derradeira, um empate contra o Botafogo por 2 a 2 rendeu o título invicto ao Mais Querido.

      Em maio, começou a disputa do segundo Campeonato Carioca de 1979. Foi atingida a histórica marca de 52 jogos de invencibilidade, estabelecendo o recorde nacional da época. Na última e decisiva partida do campeonato, contra o Vasco, o Flamengo aplicou 4 a 2, com atuações espetaculares de Zico e Júnior, levando mais uma Taça Guanabara para a sala de troféus da Gávea. O que poderia ter feito com que a equipe relaxasse teve o efeito oposto. Com uma enorme motivação para o segundo turno, veio mais uma conquista. Tita marcou e o Fla venceu o Fluminense na final por 1 a 0 e, no terceira e decisiva parte do campeonato, o rubro-negro garantiu o título em um empate por 0 a 0 contra o Botafogo.

      No remo, acompanhou o Eneacampeonato Carioca o Troféu Brasil de 1978. Nos dois anos, o vôlei também teve destaque com a conquista do Bicampeonato Brasileiro Feminino.

      1980: O primeiro Campeonato Brasileiro

      No dia 30 de março daquele ano, o elenco rubro-negro recebeu um reforço que mudaria sua história para sempre: o centroavante goleador Nunes, que posteriormente ficou conhecido como "O Artilheiro das Decisões". Em sua estreia, trajando a lendária camisa 9, o atacante marcou seu primeiro gol pelo Flamengo, em partida contra a Ponte Preta pelo Campeonato Brasileiro.

      O time começou a encorpar e ficar cada vez mais entrosado, gerando diversos resultados positivos. Nas fases iniciais, a mais expressiva foi a goleada por 6 a 2 em cima do Palmeiras, com dois gols de Zico e Tita, um de Toninho e outro de Nunes para fechar o placar. A caminhada segue forte, com boas apresentações do grupo liderado pelo Galinho de Quintino. Após vencer o Santos por 2 a 0, com ambos os gols do triunfo marcados pelo camisa 10, o Flamengo encara o Coritiba pela semifinal.

      Na primeira perna do confronto, o Mais Querido vence por 2 a 0, no Couto Pereira, mais uma vez com os dois tentos da partida sendo anotados por Zico. Na partida de volta, um embate emocionante. Aos 18 minutos de jogo, o camisa 10 e principal jogador do time sofre uma distensão muscular e deixa a partida. Alguns minutos depois, a equipe paranaense abre o placar. Aos 31 minutos, Aladim faz 2 a 0 para o Coritiba e, logo depois, Júlio César também deixa o campo contundido. Foi então que Nunes tomou as rédeas da partida. Seus dois gols colocaram a classificação nas mãos do Flamengo.

      Mas foi o golaço do lateral-direito Carlos Alberto que dá a tranquilidade ao time rubro-negro. Interceptando uma bola na beirada do campo, o jogador parte para cima dos defensores da equipe alviverde, dribla quatro atletas e bate com força no ângulo do goleiro Moreira. Mesmo com o gol do Coritiba no final, o Maracanã explodiu de alegria com a classificação. 

      No primeiro jogo da decisão, em 28 de maio de 1980, Flamengo e Atlético-MG mediram forças para um público de 90.028 no estádio do Mineirão, em Belo Horizonte, que resultou por vitória de 1 a 0 para o time mineiro, com gol do centroavante Reinaldo. Jogo marcado pela violência dos atleticanos, Rondinelli, Deus da Raça, teve seu maxilar fraturado, saindo desacordado do Mineirão. O resultado não foi tão ruim para o Flamengo, já que o time não contava com seu melhor jogador, o camisa 10 Zico. Por ter feito melhor campanha, o Mais Querido precisava de uma vitória simples por um gol de diferença, tendo em vista o resultado do primeiro confronto.

      O time é recebido por um foguetório ensurdecedor, como o Maracanã nunca tinha visto antes. Aos 7 minutos, Andrade intercepta um lançamento de Osmar e dá a Zico, que lança a Nunes. O goleiro João Leite sai desesperado e Nunes toca a bola para o fundo das redes. A torcida explode de alegria.Porém, ao dar a saída, Reinaldo empata o jogo, com alguns fogos ainda espolcando na comemoração do gol do Flamengo. No fim da primeira etapa, Zico marca o segundo gol rubro-negro.

      No vestiário, Cláudio Coutinho lê uma mensagem escrita por Rondinelli, que estava internado após intervenção cirúrgica devido ao chute que recebeu no rosto durante a primeira partida, e pedia que os companheiros ganhassem aquele título. Aquilo mexeu com os jogadores.

      Na volta para o segundo tempo, o Flamengo volta ao campo determinado a ganhar aquela partida. Apesar disso, o Atlético-MG consegue o gol de empate, com Reinaldo. Após o reinício do jogo, o Mais Querido parte desesperadamente para o ataque. Aos 37 minutos, Andrade lança a Nunes pela esquerda, que passa pela marcação de Silvestre, tentando cruzar a bola, que bate no próprio jogador e volta para Nunes. Ele dá um drible no lateral e chuta cruzado, na saída de João leite. A bola estufa a rede e o Maracanã pulsa com a festa da Nação. A partida termina em 3 a 2 e o Flamengo sagra-se Campeão Brasileiro.

      No Remo, o Flamengo conquista o Decacampeonato Estadual e o Troféu Brasil, sendo o Campeão Brasileiro mais uma vez. Mais do que nunca o Flamengo era Campeão de Terra e Mar, só que agora, no Campeonato Brasileiro. Também conquista a Regata Fita Azul.

      Já no vôlei, o Flamengo também conquista o Campeonato Brasileiro com o time feminino, contando com Izabel e Jaqueline e a base campeã de 1978. Também conquista o Hexacampeonato Estadual Feminino Juvenil. E também foi um ano extremamente vitorioso na natação, com a conquista do Bicampeonato Estadual Absoluto, do Troféu Brasil, do Troféu José Finckel e do Campeonato Estadual Juvenil e de Aspirantes.

      1981: A América e o mundo.

      O time, durante o ano, deixa de ter o zagueiro Rondinelli, o ponta-esquerda Júlio César Uri Geller e o lateral-direito Carlos Alberto. No entanto, ganha os reforços dos zagueiros Mozer e Figueiredo, que vinham do time de juniores; do lateral-direito Nei Dias, dos atacantes Chiquinho, Anselmo e Peu; do ponta esquerda Baroninho, comprado junto ao Palmeiras; do ponta-direita Luís Fumanchu; e do meio campo Lico, que viria a ser peça fundamental nas conquistas daquela temporada.

      Apesar da eliminação precoce no Campeonato Brasileiro, o Flamengo viria a conquistar os títulos mais importantes de sua história em 1981. Disputando simultaneamente a Taça Libertadores da América e o Campeonato Estadual, o início em ambas as competições foram promissores. No Carioca, boas vitórias contra o Madureira, por 4 a 2; sobre o Vasco, por 1 a 0; e um sonoro 7 a 0 em cima do Americano de Campos.

      Já no torneio continental, o Mais Querido reencontra o Atlético-MG, em partida disputada no Mineirão. A equipe mineira, que nutria uma rivalidade crescente com o clube da Gávea após a decisão do Campeonato Brasileiro do ano que passou, foi a campo determinada a buscar uma vitória. Com dois gols de Éder, o Galo abre 2 a 0 no placar. No entanto, após o segundo gol, o time rubro-negro cresceu na partida e foi buscar o empate, primeiro com gol de Nunes, aos 20 minutos, e depois com cabeçada precisa de Marinho aos 44' da segunda etapa.

      No retorno ao Rio de Janeiro, vem a conquista da Taça Guanabara. Depois de vencer o Olaria por 3 a 0, o Flamengo dependia de um empate para levantar mais um título. Na partida final, contra o Botafogo, um empate por 0 a 0 garantiu o primeiro turno do Campeonato Carioca. Poucos dias depois, o foco voltou-se para a Libertadores, com duas partidas em sequência no Maracanã. Os jogos resultaram em uma vitória por 5 a 2 sobre o Cerro Porteño e um empate por 1 a 1 contra o Olímpia, do Paraguai.

      No returno da fase de grupos, mais uma partida entre os clubes que faziam o maior clássico do país na época. E o novo jogo foi tão emocionante quanto todos os outros. Na primeira metade do confronto, Palhinha abre o placar para o Atlético-MG. Empurrado pela Nação, o Flamengo empata cinco minutos depois com Nunes e busca a virada com Tita, em um espaço curto de tempo. O time mineiro busca o empate no final e o jogo termina empatado, mostrando todo o equilíbrio do duelo.

      Após nova vitória sobre o Cerro Porteño e mais um empate contra o Olímpia, Flamengo e Atlético-MG ficaram empatados em pontos no grupo e decidiram quem avançaria para a próxima fase em uma partida de desempate. Em um jogo violento, Reinaldo é expulso após falta dura cometida em Zico. Os jogadores atleticanos se revoltam e cercam o juiz, ofendendo-o. Na confusão, mais três jogadores da equipe mineira foram expulsos. Quando o goleiro João Lopes é expulso pelo árbitro, a partida é encerrada por número insuficiente de jogadores.

      Na volta ao Rio de Janeiro, o Flamengo passa a jogar o Campeonato Estudal com o time reserva, priorizando o torneio continental. Na sequência, um jogo festivo contra o Boca Juniors, no Maracanã, marcou a despedida de Paulo César Carpegiani dos gramados. O Mais Querido venceu por 2 a 0 o time que tinha um jovem camisa 10 chamado Diego Armando Maradona. O ex-capitão Carpegiani tornou-se o treinador da equipe da Gávea pouco tempo depois.

      Os próximos adversários na Libertadores seriam o Deportivo Cali, da Colômbia, e o Jorge Wilsterman, da Bolívia. No primeiro confronto contra a equipe colombiana, o Flamengo vence por 1 a 0. Em Cochabamba, Bolívia, vitória sobre o Jorge Wilsterman por 2 a 1. Ao vencer o Cali por 3 a 0 e o Jorge Wilsterman por 4 a 1, ambos no Maracanã, o Mais Querido se classifica para a final, contra um time até então desconhecido. O Cobreloa, do Chile, foi a grande surpresa do campeonato.

      Antes da final, o Estadual volta ao foco da equipe. O Vasco leva o segundo turno, mas, já no terceiro, com o time titular de volta à ação, o Flamengo vai com tudo em busca do título. Após vitória por 4 a 0 sobre o América, a vítima da próxima goleada foi o Botafogo. Em uma apresentação de gala, o Flamengo devolve os 6 a 0 sofridos em 1972. Os gols foram marcados de forma avassaladora, com quatro deles apenas no primeiro tempo. Nunes, Zico, Lico e Adílio foram às redes. Na metade final, mais dois tentos. Zico, de pênalti, e Andrade, em bomba da entrada da área, fecham o placar.

      Após esse jogo, o Flamengo derrota o Americano por 6 x 1 e já é considerado um dos favoritos para a conquista do título. Ao vencer o Fluminense por 3 x 1 e o Volta Redonda por 5 x 2, o Flamengo conquista o terceiro turno do Estadual, o que lhe daria uma grande vantagem para a final contra o Vasco, pois, além de ganhar dois turnos, também tinha ganho o maior número de pontos em todo o campeonato. Mas antes dessa decisão, viria a conquista da América.

      O primeiro confronto contra o Cobreloa foi realizado no Maracanã. O Flamengo venceu por 2 a 1, com os dois gols marcados pelo craque Zico. Em 20 de novembro, o jogo de volta foi realizado no Estádio Nacional do Chile. O jogo foi uma verdadeira guerra, com os jogadores chilenos usando de extrema violência para tentar brecar o ímpeto ofensivo rubro-negro. Em um lance de sorte, o Cobreloa consegue marcar em falta desviada na barreira, que morreu no fundo das redes. A partida decisiva seria decidida em campo neutro, e o local escolhido foi o Estádio Centenário de Montevidéu.

      O dia era 23 de novembro. O Mais Querido vai ao gramado com Raul, Nei Dias, Marinho, Mozer e Júnior; Leandro, Andrade, Zico; e, mais à frente, Tita, Nunes e Adílio, que substituiu Lico, contundido na primeira partida contra os chilenos. O jogo foi mais uma vez de um nível enorme de violência por parte dos jogadores do Cobreloa. Apesar das adversidades, o Flamengo fez o que sabia de melhor. Aos 17 minutos, Zico abre o placar, para a alegria dos torcedores que viajaram até o Uruguiai. Por falta dura em Adílio, Alarcon foi expulso, ampliando ainda mais o domínio rubro-negro na partida. No entanto, pouco tempo depois, Andrade também recebeu o cartão vermelho por revidar uma falta.

      O Flamengo estava a apenas 45 minutos de levar sua maior conquista até então. Aos 30 minutos, Adílio é lançado em profundidade e recebe falta na entrada da área do goleiro Wihrt, que saiu para tentar interceptar o passe, mas utilizou as mãos. Com a categoria tradicional do craque, Zico cobra com perfeição e a bola morre no fundo das redes, fazendo explodir de alegria o Estádio Centenário e milhares de casas e bares por todo o Brasil. O juiz apita o fim da partida e a América é pintada de vermelho e preto pela primeira vez na história.

      De volta ao Rio de Janeiro, e às vésperas da decisão contra o Vasco, uma notícia cai como uma bomba na Gávea. Cláudio Coutinho, que havia chegado dos Estados Unidos, onde trabalhava como técnico, para passar férias na cidade, havia morrido afogado nas Ilhas Cagarras, ao praticar pesca submarina. Toda a diretoria e jogadores do Flamengo ficam extremamente abalados com a morte do querido treinador, que havia montado toda a estrutura daquele time. O funeral de Coutinho emociona a todos.

      Ainda recuperando-se do grande choque, o Flamengo tentou adiar a partida contra o Vasco, que não aceitou. Sendo assim, o time cruzmaltino venceu o primeiro jogo por 2 a 0 e o segundo por 1 a 0, vencendo o terceiro turno e indo para a final do Campeonato Estadual.

      Na decisão, em igualdade de condições, o Flamengo entra em campo determinado a vencer o título. O domínio rubro-negro era total. Logo aos 20 minutos, Adílio pega um chute preciso da entrada da área e abre o placar da partida. Aos 24', Zico lança bola para Júnior em velocidade. O goleiro Mazaroppi vai até a intermediária para rebater a bola, que cai no pé de Nunes. Com extrema felicidade, ele chuta de longa distância e faz o segundo gol do Mais Querido. Mesmo com o gol marcado por Ticão, já nos últimos minutos da partida, o Vasco não teve forças para buscar o resultado e o Flamengo conquista o título carioca.

      Mas ainda não era o suficiente. Faltava o mundo.

      O time viaja para Tóquio, para disputar o título de Campeão Mundial de Clubes. Iria enfrentar o Liverpool da Inglaterra, campeão europeu. Durante os dias em que esteve em Tóquio, o Flamengo consegue recuperar Júnior para a grande final. Em 13 de dezembro, o Flamengo pisa o gramado do Estádio Nacional de Tóquio com Raul, Leandro, Marinho, Mozer e Júnior, Andrade, Adílio e Zico, Tita, Nunes e Lico. O jogo seria disputado ao meio dia de Tóquio, meia noite no Rio de Janeiro. A torcida do Flamengo havia preparado uma grande festa, com a concentração nos Arcos da Lapa, onde seriam colocados telões, para mostrar o jogo. Porém, um temporal assolou o Rio nessa noite e a festa foi desfeita. Pela televisão, a torcida acompanhou aquele que seria o maior jogo de toda a história do Clube de Regatas do Flamengo, desde a sua fundação.

      Antes do jogo, no saguão que dava para o campo, os times se encontraram. Os ingleses olhavam os jogadores do Flamengo com ar de superioridade. Alguns riam e mostravam certo desprezo. Foi quando Zico chamou a atenção dos companheiros e mostrando a falta de respeito dos ingleses, pediu que cada um desse tudo de si para a conquista do título. O time do Flamengo jogou com o uniforme branco, com mangas compridas, já que fazia frio em Tóquio, apesar do sol que brilhava. O jogo começa com os times se estudando e aos poucos o Flamengo vai se soltando e ditando o ritmo. Aos 12 minutos, Zico lança Nunes em profundidade. Ele invade a área pela esquerda e dá um leve toque deslocando o goleiro Grobelar, do Liverpool. A torcida explode aqui e em Tóquio, já que a torcida do Flamengo se fazia representar por vários brasileiros que viajaram e pelos japoneses que simpatizaram com suas cores. Aos 36 minutos, Tita é derrubado na intermediária. Zico se prepara para cobrar a falta. Ao chutar violentamente, o goleiro inglês bate roupa e a bola se oferece a Lico. Na hora do chute, ele é prensado por um zagueiro e a bola sobra para Adílio chutar e marcar o segundo gol. Ele sai dando beijinhos para a torcida. No Brasil, principalmente no Rio, o carnaval já começa. Aos 42 minutos, Zico lança a Nunes pela direita. Ele entra na área e chuta forte, cruzado, marcando o terceiro gol do Flamengo. Muitos não viram sequer o segundo tempo, pois a comemoração começou aí. 

      Durante o segundo tempo, o Flamengo manteve o Liverpool dominado e ainda teve várias chances de conseguir mais gols. A torcida japonesa nunca havia assistido a uma exibição como a do Flamengo. Os ingleses, atônitos, ficavam sem saber o que fazer. Ao final do jogo, o juiz Mario Rúbio Velasques dá início à festa no Japão e em todo o Brasil. Os times ficam perfilados no gramado para receberem seus prêmios. Zico e Nunes ganham, cada um, um carro, por serem escolhidos o melhor em campo e o artilheiro. Ao receber a taça de Campeão do Mundo, Zico levanta para toda a torcida do Flamengo ver no Brasil, o maior título já conquistado por aquela geração de craques. O dia de domingo já ia amanhecendo e a torcida do Flamengo ainda comemorava e muito o título. Os torcedores não cabiam em si de tanta alegria. Muitos consideraram que as ruas do Rio só viram comemoração parecida na conquista do Tricampeonato Mundial pela Seleção Brasileira em 1970. Porém, a festa e os títulos  não acabariam por aqui.

      No Remo, o Flamengo é o Campeão Estadual pela 11ª vez consecutiva, criando uma verdadeira dinastia no esporte que deu origem ao clube. Também conquista o Bicampeonato da Regata Fita Azul. Já no vôlei, as meninas da categoria Feminino Adulto vencem Campeonato Estadual. Além disso, o judô rubro-negro vence o Bicampeonato Estadual Masculino e Feminino Sênior e o Bicampeonato Estadual de Faixa Preta Masculino e Feminino.

      1982 e 1983: Mais dois títulos nacionais para a conta

      O ano de 1982 começa com a ressaca da conquista do Campeonato Mundial. Os jogadores, após tirarem férias no Hawaí, retornam ao Brasil, para começar a disputa do Campeonato Brasileiro. O time praticamente era o mesmo.

      Na estreia do Brasileirão daquele ano, o Flamengo enfrentou o São Paulo. Serginho Chulapa, centroavante do time paulista, chega a fazer uma aposta com o goleiro Raul. Caso ele não fizesse gol no Flamengo, carregaria o goleiro nas costas ao final do jogo. O Maracanã recebe com festa o time Campeão do Mundo, que antes do jogo recebe as faixas da conquista. Aos 14 e 41 minutos, Serginho cumpre o seu papel e faz 2 x 0 para o São Paulo. No intervalo, a torcida do Flamengo achava que a comemoração seria com uma derrota, já que o time não realizava uma grande atuação. No retorno ao campo, o Flamengo partiu para cima do São Paulo e aos 13 minutos, após grande tabela com Lico, Zico invade a área e fuzila Valdir Peres. A torcida começa a acreditar numa reação. Aos 25 minutos, Andrade chuta forte da entrada da área e empata o jogo. O Flamengo domina amplamente o São Paulo. Aos 36 minutos, Zico e Júnior realizam grande jogada desde a defesa do Flamengo. Júnior vai à linha de fundo e cruza na cabeça de Zico que marca o terceiro gol do Flamengo. A virada faz a torcida vibrar e ter a certeza que seria muito difícil alguém vencer aquele time.

      No segundo jogo, em Recife, contra o Náutico, o Flamengo chegou a estar perdendo de 3 x 1. Porém, com gols de Leandro, Lico e dois de Zico, o time consegue mais uma grande virada e vence seu adversário por 4 x 3. A partir daí, o Flamengo vai derrotando seus adversários, como nos 5 x 0 contra o Treze de Campina Grande e os 3 x 0 contra o Ferroviário.

      Após as preliminares, teve início a fase de grupos. No primeiro jogo, empata em 1 x 1 com o Corinthians, no Morumbi, com gol de Zico. No segundo jogo, o Flamengo enfrenta o Atlético Mineiro, no Maracanã. Os mineiros vinham engasgados com os resultados dos últimos anos. Aos 15 minutos, Reinaldo faz 1 x 0, após Éder cobrar falta e a bola bater na trave. Logo depois, Figueiredo é expulso de campo e o Flamengo fica sem 1 jogador. Por incrível que pareça, o Flamengo passou a dominar o Atlético Mineiro e a torcida do Flamengo promoveu um espetáculo à parte. Durante todo o segundo tempo, além de gritar o tempo todo, incentivando o time, a torcida fez ecoar no Maracanã o samba da Império Serrano, que havia feito um grande sucesso no carnaval desse ano, intitulado "Bum Bum Paticumbum Prucurundum", que tinha um refrão que cantava " Vem meu amor, manda a tristeza embora, é carnaval, é folia, nesse dia ninguém chora". Foi um espetáculo sensacional. No campo, o time encurralava o Atlético. Aos 28 minutos do segundo tempo, a bola é cruzada na área do Atlético e Mozer sobe lá no quinto andar para cabecear. A bola sobra para Adílio empurrar para as redes. A partir de então, a Nação passou a gritar ainda mais alto. Aos 36 minutos, a bola é novamente cruzada para a área do Atlético. Mozer se impulsiona nas costas de Adílio e alcança uma bola impossível. A rede estufa e Mozer é quase sufocado pelos companheiros. A vitória foi sensacional. Mais uma vez os mineiros voltavam para casa sem um resultado positivo.

      Na fase mata-mata, o Flamengo foi passando por diversos adversários dificílimos. Primeiro, duas vitórias sobre o Sport Recife por 2 a 0 e 2 a 1, respectivamente. No confronto seguinte, o Mais Querido encarou o Santos. No Maracanã, vitória rubro-negra de virada, com gol de Marinho no apagar das luzes. Na partida de volta, no Morumbi, mais um confronto emocionante. Após ficar atrá do placar com gol marcado por Batistote para o Santos, Zico busca o gol de empate aos 37 do segundo tempo, resultado que levou o clube da Gávea para a semifinal, onde venceu o Guarani e classificou-se para a grande final, contra o Grêmio.

      Na final, o time gaúcho tinha a vantagem de disputar o segundo e um eventual terceiro jogo em casa, devido à campanha feita. No primeiro embate, o Grêmio encaminhava-se para a vitória com um gol de Tonho aos 38 minutos da segunda etapa. No entanto, aos 42', Zico buscou o empate em bela jogada individual. O segundo confronto também foi marcado pelo equilíbrio. Com o Estádio Olímpico lotado, o Flamengo defendeu-se bem e o jogo terminou com nova igualdade no placar, dessa vez por 0 a 0.

      Em meio a muitas provocações nas entrevistas depois do fim do jogo, o clima para a terceira e decisiva partida era da mais pura rivalidade. Com 10 minutos de jogo, Zico pegou a bola na intermediária, fez fila no meio da defesa gremista e fez passe preciso para Nunes que, cara a cara com o goleiro Leão, teve a tranquilidade típica de um matador para botar a bola no fundo das redes. Após o gol, o time carioca conseguiu se defender bem durante a primeira etapa, criando oportunidades em saídas rápidas para o contra-ataque. Já o Grêmio tentava fazer valer o fator casa, buscando criar um ambiente de pressão para a defesa rubro-negra.

      Na etapa final, o Grêmio partiu para o abafa. O goleiro Raul fez defesas incríveis na partida, mantendo o placar de 1 a 0 para o Flamengo. Essa foi a conquista do segundo campeonato nacional do Mais Querido, que viria a ganhá-lo mais uma vez no ano seguinte.

      Após perder o técnico Paulo César Carpegiani pouco depois do início do Campeonato Brasileiro daquele ano, o saudoso Carlos Alberto Torres, capitão da Seleção Brasileira Tricampeã Mundial em 1970, assumiu o comando do elenco rubro-negro. Sua estréia na carreira de treinador ocorreu em 17 de abril, quando o Flamengo enfrentou o Corinthians no Maracanã. O Flamengo derrota o Corinthians por 5 a 1, com dois gols de Zico, um de Adílio, um de Mozer e outro de Elder, dando um verdadeiro show de bola no time de Sócrates.

      Em busca pela vaga nas semifinais, o adversário que o Mais Querido teve pela frente foi o Vasco, rival local de longa data. No primeiro jogo, vitória rubro-negra por 2 a 1, com o gol decisivo sendo marcado por Júlio César Uri Geller. No jogo seguinte, um empate por 1 a 1, com o tento marcado por Zico na segunda etapa, fez com que o Flamengo avançasse para a próxima fase da competição, contra o Atlético-PR.

      Em 12 de maio, o Flamengo joga a primeira partida contra o Atlético, no Maracanã. Com dois gols de Zico e um de Vitor, o Flamengo vence por 3 x 0. No jogo, o zagueiro Mozer é expulso de campo. Em 15 de maio, o Flamengo enfrenta o Atlético, jogando em Curitiba, podendo perder até por 2 gols de diferença. O Atlético contava com os jogadores Assis e Washington, que nesse mesmo ano seriam negociados com o Fluminense, formando a famosa dupla Casal 20. Com dois gols de Washington, aos 29 e 31 minutos, o Flamengo tomava um grande susto. Teve que suportar uma grande pressão até o fim para se classificar para a grande final. 

      A decisão do Brasileirão de 1983 foi contra o Santos, que contava com os craques Paulo Isidoro, Pita e o goleador Serginho Chulapa. O time é pressionado desde o início no Morumbi. Aos 25 minutos, após cobrança de um escanteio santista, Pita pega o rebote e chuta de fora da área chuta para fazer 1 a 0. Na segunda etapa, Serginho aproveita rebote de Raul e marca 2 a 0. A torcida do Flamengo já começava a fazer contas para o jogo final, que seria decidido no Maracanã. Aos 22 minutos da etapa final, após cobrança de escanteio, a bola é lançada na área e Baltazar marca de cabeça o gol do Flamengo. O gol faz com que o Santos se lance ao ataque, deixando os contra-ataques para o Mais Querido, que quase consegue o empate em uma arrancada de Adílio.

      No confronto final, Zico fez um dos gols mais rápidos de sua carreia, com apenas 54 segundos de jogo. Adílio vai se tornando o grande nome do jogo, realizando talvez a sua maior partida usando o Manto Sagrado. Aos 39 minutos, ocorre uma falta na lateral da grande área do Santos, do lado direito. Zico cobra, cruzando a bola na cabeça de Leandro, que marca o segundo tento rubro-negro. Com o resultado, o Flamengo já seria campeão.

      Quando a torcida já gritava é campeão, Robertinho ganha uma bola na ponta direita e cruza na cabeça de Adílio, que marca o gol do título, coroando sua grande atuação. Os fotógrafos e repórteres invadem o gramado para tentar as melhores fotos e entrevistas, contagiando-se com a festa da torcida. O árbitro apita o fim da partida e uma enorme festa toma conta das ruas do Rio de Janeiro e de todo o Brasil. Mais uma conquista nacional para o futebol rubro-negro.

      No remo, o Flamengo conquista o Bicampeonato do Troféu Brasil, conquistanto também o Campeonato Estadual e o Tetracampeonato da Regata Fita Azul. Já na natação, vêm as conquistas do Tetracampeonato Estadual Absoluto, do Tricampeonato do Troféu Brasil, do Tricampeonato do Troféu José Finckel e do Bicampeonato do Troféu Júlio Delamare. Finalizando com o judô, o Mais Querido conquista o Tetracampeonato Estadual Masculino Sênior, o Tetracampeonato Estadual Feminino e o Tetracampeonato de Faixas Pretas Masculino e Feminino.

      1984: Uma nova geração.

      Ao fim do Campeonato Brasileiro de 1983, o maior ídolo da história rubro-negra, o meia Zico, se despediu do clube para juntar-se à Udinese, da Itália. Outro jogador multicampeão que disse seu até logo para o Flamengo foi Júnior, vendido ao também italiano Torino. Foi uma época na qual os grandes jogadores brasileiros rumavam em direção à Europa, com destaque para a transferência de Falcão, que também seguiu para a Itália, saindo do Internacional de Porto Alegre e indo para a Roma.

      O lendário presidente George Helal utilizou o dinheiro da venda de Zico para comprar o terreno onde hoje está localizado o Centro de Treinamento, batizado em sua homenagem.

      Dentro de campo, a Nação foi conhecendo um jovem franzino e talentoso, que conquistou a admiração de todos. Mesmo com sua baixa estatura, possuía grande velocidade de raciocínio e um toque primoroso. Na Libertadores daquele ano, garantiu o prosseguimento do Mais Querido para a segunda fase após vitória por 3 a 1 contra o Grêmio no Maracanã, marcando dois gols.

      Na Taça Guanabara, o time consegue realizar boa campanha e chega à última rodada empatado em pontos com o Fluminense. Durante a semana que antecedeu a decisão, alguns jogadores do time tricolor foram à Brasília e presentearam o candidato à presidência do Brasil, Paulo Salim Maluf, com uma camisa do Fluminense. Maluf concorreria à presidência com Tancredo Neves, na primeira eleição à presidente após a ditadura militar que assolou o Brasil desde 1964. Apesar do grande movimento das "Diretas Já", que mobilizou toda a população brasileira com comícios históricos que levaram grandes personalidades aos palanques gritando por democracia, a eleição ainda não seria pelo voto direto. Maluf representava o partido do governo. Tancredo representava o fim de um sistema de governo e a esperança de todo o povo numa reformulação geral da política brasileira. A torcida do Flamengo utiliza isso a seu favor e mostra seu apoio total a Tancredo. Esse Fla-Flu ficou marcado como o mais politizado da história. 

      Na partida, disputada no Maracanã, Adílio toca de cabeça após cruzamento de Tita e marca 1 a 0 para o Flamengo. Durante todo o jogo o Mais Querido tem maior posse de bola. Ao final do confronto, a Taça Guanabara vai parar mais uma vez na Gávea, confirmando a hegemonia rubro-negra na competição. Apesar da conquista do Campeonato Carioca não ter ficado com o Flamengo, o grupo ficava cada vez mais coeso e entrosado após as saídas de jogadores importantes na última janela de transferências.

      Na Taça Guanabara, o time consegue realizar boa campanha e chega à última rodada empatado em pontos com o Fluminense. Durante a semana que antecedeu a decisão, alguns jogadores do Fluminense vão a Brasília e presenteiam o candidato a presidência do Brasil, Paulo Salim Maluf, com uma camisa do Fluminense. Maluf concorreria a presidência com Tancredo Neves, na primeira eleição à presidente, após a ditadura militar que assolou o Brasil desde 1964. Apesar do grande movimento das Diretas Já, que mobilizou toda a população brasileira, com comícios históricos que levaram grandes personalidades aos palanques para pedir eleições diretas para presidente, a eleição ainda não seria pelo voto direto. Maluf representava o partido do Governo e Tancredo representava o fim de um sistema de governo falido e a esperança de todo o povo numa reformulação geral do Brasil. Pois bem, com a visita a Maluf, o Fluminense ficou marcado por uma certa antipatia. A torcida do Flamengo utiliza isso a seu favor e mostra seu apoio total a Tancredo. Esse Fla x Flu ficou marcado como o mais politizado da história.

      No confronto, que foi disputado no Maracanã, Adílio dá a vitória ao Mais Querido em cabeça certeira para o fundo das redes após falta cobrada por Tita. Durante todo o jogo, o Flamengo tem maior posse de bola e faz uma ótima partida, apesar do placar magro. Ao final do jogo, o título da Taça Guanabara vai parar mais uma vez na sala de troféus da Gávea, confirmando a hegemonia rubro-negra a competição. Apesar de não ter conquistado o título carioca, o time ganhava cada vez mais entrosamento, tornando-se cada vez mais competitivo com o passar dos anos. 

      No futebol de base, o destaque fica para a conquista do Bicampeonato do Torneio Otávio Pinto Guimarães de Juniores e dos Campeonatos Estaduais Juvenil e Infantil. No basquete, o Flamengo vence o Campeonato Estadual Masculino Adulto. Já no remo, o Flamengo conquista o Bicampeonato Estadual e o Pentacampeonato da Regata Fita Azul. Mais uma vitória no vôlei, com o Campeonato Estadual Feminino Adulto.

      A hegemonia na natação também marcou a história do Flamengo, com a conquista o Hexacampeonato Estadual Absoluto, do Pentacampeonato do Troféu Brasil, do Pentacampeonato do Troféu José Finckel e do Tetracampeonato do Troféu Júlio Delamare. Mais títulos vieram no judô, com o Pentacampeonato Estadual Masculino Sênior, o Pentacampeonato Estadual Feminino e o Pentacampeonato dos Campeonatos Estaduais Faixa Preta Masculino e Feminino.