• A camisa pesou

      Flamengo venceu estadual por três anos seguidos contra o mesmo rival

      A década, o século e o milênio chegavam ao fim. O mundo passava por grandes transformações. O surgimento da internet dava início à era da informação, mudando dinâmicas, processos e relações em todo o mundo. Mas uma coisa não mudava: o Flamengo conquistava títulos.

      O Rubro-Negro conseguiu a façanha de se tornar simultaneamente o último campeão carioca da década de 90, do século XX e do segundo milênio e o primeiro time a triunfar no estado na década de 00, no século XXI e no terceiro milênio.

      Isto tudo com um belíssimo tricampeonato conquistado em três anos diferentes, mas sobre o mesmo rival: o Vasco.

      Tudo começou em 1999. Os rivais decidiram a Taça Guanabara. Athirson e Romário marcaram para o Mais Querido. Odvan diminuiu, mas deu Flamengo. O cruzmaltino deu o troco na final da Taça Rio, o segundo turno do estadual. Depois de decidir os dois turnos, o clássico seria agora cenário para a decisão do campeonato carioca.

      Mesmo com desfalques importantes, o Flamengo empatou no jogo de ida em 1 a 1. O alvinegro abriu o placar, mas Fábio Baiano marcou gol. No jogo de volta, um gol de falta fez a diferença. O 0 a 0 marcava um jogo tenso. No segundo tempo, o prata da casa Rodrigo Mendes partiu para a cobrança de bola parada na frente da área. O tiro rasteiro entrou no canto e foi o único gol da partida. Flamengo campeão.

      No ano seguinte, o craque Romário mudou de lado. Mas nem isso foi possível para virar o jogo a favor do Vasco. Parecia que o título da Taça Guanabara, com goleada sobre o Rubro-Negro na final, era o primeiro passo de uma conquista certa. Mas o jogou virou. O Flamengo cresceu durante a Taça Rio e levou o título, chegando a mais uma decisão.

      O primeiro jogo foi um passeio rubro-negro. O Vasco se defendeu. Mas Athirson abriu o placar com chute de fora da área. Fábio Baiano aumentou o placar com bela cobrança de falta e Beto fechou o placar aproveitando bola ajeitada por Lúcio. No segundo jogo, Viola abriu o placar e o Vasco acreditou na virada da vantagem. Mas Reinaldo empatou e Tuta fez o segundo. No placar agregado, 5 a 1 - placar da final da Taça Guanabara. Em uma demonstração da superioridade rubro-negra, Beto repetiu as embaixadinhas feitas por Pedrinho no título do primeiro turno. Só que, em uma adaptação do ditado, quem faz embaixadinhas por último, faz melhor. Flamengo último campeão do milênio.

      Foram dois anos perdendo a final para o Flamengo. O Vasco ganhou o Brasileiro, a Libertadores… Mas não o Carioca. Sempre a pedra rubro-negra no sapato. E o cruzmaltino chegou a 2001 com total concentração para acabar com esta sina.

      O Flamengo se garantiu na final logo no primeiro turno, ao vencer o Fluminense. A decisão foi emocionante. O empate por 1 a 1 levou o jogo aos pênaltis. Cássio bateu com tanta força que nem a defesa do goleiro foi capaz de impedir a bola de pegar um efeito inacreditável e entrar. O Cruzmaltino conseguiu ganhar a Taça Rio, se credenciando a mais uma decisão. Era a chance da vingança.

      O Flamengo sofria com divergências internas no elenco, mas se uniu para a decisão. O Vasco saiu na frente, ganhando o primeiro jogo por 2 a 1. Podendo até perder o segundo jogo, o adversário se aproveitou da vantagem e abusou das provocações na semana anterior ao jogo final.

      Edilson, o Capetinha, botou o Mais Querido à frente. O Vasco empatou. Novamente, Edilson botou o Flamengo na frente. A vantagem era vascaína, que tinha a melhor campanha. E levava o título até os 43 minutos, quando Petkovic provocou um milagre e fez um dos gols mais bonitos da história rubro-negra.

      Pelo terceiro ano, o Flamengo foi campeão. Pelo terceiro ano, a camisa pesou.