• 1966 a 1975: A raça de Almir, Fio Maravilha e o surgimento de Zico

      Década marca o nascimento do Galinho de Quintino para o futebol

      O Flamengo iniciaria a caminhada pelo bicampeonato estadual em 1966. Apesar de não conquistar o título um momento marca a história de Almir no Flamengo. A cabeçada com a cara na lama elevou o atleta rubro-negro a outro nível. A foto ganhou as manchetes do Brasil e do mundo. Dedicação reconhecida.

      1967 e 1968 não foram bons anos para o futebol rubro-negro. Sem conquistar o estadual, o brilho ficou por conta de grandes excursões e confrontos contra equipes estrangeiras, tal qual uma partida histórica contra o Barcelona. Apesar de ser derrotado por 5 a 4 em 1968, o Mais Querido saiu aplaudido pela grande atuação. 

      1969 marca o ano de Garrincha vestindo o Manto Sagrado. Rubro-Negro de infância, o craque das pernas tortas não era mais o mesmo. Sofrendo com dores no joelho disputou 20 partidas e anotou quatro gols. 

      A Taça Guanabara enfim vai para a Gávea. O Flamengo conquista o título em 1970, com a equipe que ficou conhecida como "Mengão 70". Na Taça de Prata, último torneio nacional antes do Campeonato Brasileiro, não consegue o título.

      Em 1971, a crise entre o elenco e o técnico Yustrich atrapalham o rendimento no início da temporada. O treinador deixou o Flamengo e, aos poucos, a equipe foi encontrando o melhor futebol. Em 29 de julho daquele ano, no confronto contra o Vasco da Gama pela Taça Guanabara, o técnico Fleitas Solich promoveu a entrada de um jogador franzino, que a torcida conhecia apenas das preliminares. Esse menino era Zico. Rondinelli estrearia no mesmo ano.

      1972 começou com o Flamengo reforçando seu elenco. Paulo César Caju, Zé Mário, Rogério e Caio chegavam ao clube e seriam comandados por Mario Jorge Lobo Zagallo, tricampeão com a Seleção Brasileira dois anos antes. Zagallo devolve Zico ao time juvenil. Com as lindas imagens do Canal 100, o Flamengo decide a Taça Guanabara contra o Fluminense e aplica um impiedoso 5 a 2.  Sem conquistar o segundo e terceiro turno, o Flamengo decidiria o título em um triangular contra Fluminense e Vasco. O jogo decisivo, mais uma vez um FLA x FLU aconteceu num Maracanã com mais de 136 mil pagantes. O Mengão vence por 2 a 1 e se consagra Campeão Estadual. O time não vai bem no Brasileirão e no dia do aniversário é goleado pelo Botafogo por 6 a 0.

      No mesmo ano, Fio Maravilha marcou lindo gol em amistoso contra o Benfica, em que "só não entrou com bola e tudo porque teve humildade em gol". Virou música de Jorge Ben.

      1973 chega com a contratação de Dario. Irreverente, o atacante foi parte da seleção de 1970 e muitos contestaram sua convocação atrelando o chamado à ditadura militar. Ele e a equipe conquistaram a Taça Guanabara daquele ano, mas não lograram levantar o Estadual.


      1974: O início de uma lenda.

      Zico firmou-se de vez no time titular do Flamengo, tendo em vista suas apresentações no ano anterior. Foi então que teve início a era de ouro da história do Flamengo, onde foram conquistados os títulos mais importantes de toda a interminável lista de glórias do clube. Zico teve ao seu lado uma safra de jogadores espetaculares, com a grande maioria deles tendo sido formada nas categorias de base do clube da Gávea. Foi uma década inesquecível. Na maior parte dos jogos, o Maracanã pulsava em vermelho e preto. Dentro de campo, jogadores com técnica apurada, que faziam jogadas maravilhosas, com atuações de encher os olhos. Aos torcedores que não podia comparecer aos jogos, vozes como as de Jorge Cury, Waldir Amaral e Doalcei Bueno de Camargo transmitiam toda a emoção de cada partida.

      O time estava sob o comando de Joubert Meira, antigo lateral direito na década de sessenta. No Campeonato Brasileiro, o Flamengo conseguiu sua melhor colocação até então, o sexto lugar. Zico marcou onze gols na competição. Foram 14 vitórias, 6 empates e 4 derrotas durante a campanha.

      A conquista no futebol daquele ano ficou por conta do Campeonato Carioca. A disputa foi acirrada, com muitos times competitivos formados à época. O Flamengo vence o terceiro turno da competição. Zico, Geraldo, Júnior e o atacante Doval foram os destaques rubro-negros na competição. No triangular final, o título vai para a Gávea após vitória por 2 a 1 sobre o América e empate por 0 a 0 na final contra o Vasco, que havia empatado a partida contra a equipe de Edson Passos.

      Nesse ano, o remo rubro-negro sagrou-se Tetracampeão Carioca. As outras conquistas ficaram por conta do vôlei, com os Campeonato Estadual Masculino Juvenil, e do basquete, com o Troféu Juan Llorena na categoria  Adulto Masculino.