Libras

Notícias

Flamengo acumulou dívida de R$ 215 milhões

Edmundo Santos Silva deixou uma terrível herança financeira Ex-presidente rubro-negro ficou no Fla durante três anosRODRIGO BENCHIMOL - LANCE

Por - em

Edmundo Santos Silva deixou uma terrível herança financeira

Ex-presidente rubro-negro ficou no Fla durante três anos

RODRIGO BENCHIMOL - LANCE

Os motivos do caos financeiro que o Flamengo atravessa são facilmente percebidos ao longo dos anos. Administrações irresponsáveis ou incompetentes fizeram o clube acumular uma dívida que chegou a R$ 233 milhões em 2006, número que deve subir em 2007.

O LANCE! apurou os motivos disso acontecer e descobriu o prejuízo que o Flamengo teve ano a ano, desde 1994. Da administração presidencial de Kléber Leite (95/98), passando por Edmundo Santos Silva (99/2002), Hélio Ferraz (2003) até chegar em Márcio Braga (que assumiu em 2004) são R$ 215 milhões de endividamento.

A conseqüência disso são casos absurdos de ações judiciais que prejudicam as finanças rubro-negras. Como o LANCE! informou na sua edição da última quarta-feira, o Flamengo gasta R$ 1,9 milhão mensalmente com uma folha salarial que paga somente as dívidas passadas. Desse valor, 70% (cerca de R$ 1,5 milhão) são apenas com ex-jogadores e ex-técnicos. Paralelamente a isso, o clube ainda tem a sua folha salarial normal que é de cerca de R$ 3,2 milhões, sendo R$ 2,3 milhões com o departamento de futebol.

O período mais prejudicial ao Flamengo foi o da gestão Edmundo Santos Silva. O atual Conselho Diretor está abrindo uma comissão de inquérito para investigar as irregularidades nos quatro anos do único presidente que sofreu impeachment. Segundo cálculos do departamento financeiro, os cofres rubro-negros sofreram um prejuízo total de R$ 211 milhões.

Durante estes quatro anos, o Flamengo arrecadou nominalmente R$ 370 milhões, mas gastou R$ 482. Estes R$ 112 milhões de prejuízo foram corrigidos pelo índice IGPM e o valor passou a ser os R$ 211 milhões citados acima.

– Esta gestão prejudicou o Flamengo financeiramente e moralmente – afirmou o vice de administração e finanças José Carlos Dias.

Um exemplo de caso que complica o Fla é o do lateral-direito Bruno. Contratado em 2001, ele não vestiu a camisa rubro-negra, mas ganhou ação de R$ 5 milhões por conta da sua multa rescisória