Libras

Notícias

Treinadora da Seleção Brasileira, Emily Lima observa jogo do Flamengo/Marinha

Emily falou com exclusividade ao Site Oficial sobre o Brasileirão Feminino

Por - em
O Flamengo/Marinha teve uma espectadora ilustre na Gávea para a última rodada do Campeonato Brasileiro de Futebol Feminino, quando venceu o Vitória-BA por 3 a 0. Emily Lima, treinadora da Seleção Brasileira, assistiu a partida e conversou com o Site Oficial. A técnica aproveitou para avaliar a competição.

"É mais do que uma obrigação assistir os jogos do Campeonato Brasileiro estando à frente da Seleção Brasileira, tanto a Série A1 quanto a A2. Hoje vim para cá, mas meu assistente estava em Ponte Preta x São José, nossa coach em Portuguesa x Botafogo-PB, outro assistente estava vendo Corinthians x São Francisco. Então precisamos trabalhar. Estamos observando, fazendo um mapeamento geral", afirmou a treinadora.

Emily ainda comentou sobre a importância de analisar todas as atletas. "Foi muito interessante assistir essa partida, pois acreditávamos que o Ricardo (Abrantes) iria poupar algumas meninas e já havíamos acompanhado o último jogo delas contra o São José, quando forçaram cartões para começarem a segunda fase zeradas. Sabíamos que outras jogadoras iriam atuar e queremos observar todo mundo. É nossa obrigação acompanhar essa competição. Se serão convocadas ou não, já é outro questionamento. Na última lista, sete atletas que atuam no Brasil foram chamadas. A concorrência é muito grande e isso é muito bom para a Seleção e para mim", disse.

A treinadora ainda comentou sobre as mudanças no Brasileirão em 2017, que incluíram duas divisões e equipes bem colocadas no torneio masculino ganhando vagas para a Série A1, além de fazer uma avaliação da primeira fase.

"Vi que as equipes de camisa que não estavam preparadas e chegaram acreditando que tudo daria certo acabaram se surpreendendo negativamente. Alguns times me procuraram muitas vezes para saberem mais informações sobre o que fazer ou não. Isso foi muito bacana, essa quebra de barreira que existia entre clubes e Seleção Brasileira. Infelizmente alguns caíram, como Vitória e Grêmio, que já começaram na Série A1. Esse novo formato só reafirmou a competitividade, principalmente pelas vagas na próxima fase. Houve uma mudança de comportamento. Esse foi o segundo jogo do Flamengo que assisti e vi uma evolução muito grande. Precisamos trabalhar juntos por um objetivo maior", concluiu Emily.

*Sob supervisão de Isabela Abirached