Libras

Notícias

Dos recordes ao título: os números da campanha inesquecível do Flamengo no Brasileirão

Por - em
A palavra que melhor define o heptacampeonato do Flamengo é incontestável. Em 38 rodadas (28 vitórias, 6 empates e 4 derrotas), o Rubro-Negro fez 90 pontos e conquistou o título jogando um futebol encantador.

O elenco entrou para a história, assim como Jorge Jesus e toda comissão técnica. A cada jogo no Maracanã ou em qualquer outro estádio do país, a Nação festejou, exaltou, viveu momentos especiais e desfrutou de um time incansável na busca por gols e, consequentemente, por recordes. 

Ser campeão brasileiro dessa forma teve um sabor especial. Deu gosto de ver o Mais Querido em campo. Com absoluta certeza, o ano de 2019 vai ficar eternizado na memória. O Flamengo foi Flamengo. E o desempenho fala por si.

Melhor mandante/melhor aproveitamento

O Flamengo não perdeu dentro de casa no Campeonato Brasileiro. Nas 19 partidas como mandante, venceu 17 e empatou duas. Com aproveitamento de 93%, o time conquistou 53 pontos e estabeleceu o recorde na era dos pontos corridos com 20 clubes. O somatório geral merece destaque: 78.9% de aproveitamento durante todo campeonato. Também é o maior no formato atual do torneio.

Melhor campanha/maior pontuação

Desde a mudança de formato da competição para 20 clubes, a maior pontuação era de 84 pontos. O time comandado por Jorge Jesus alcançou 90 e terminou com a melhor campanha da história.

Melhor ataque e melhor saldo de gols

Com o trio Arrascaeta (13), Bruno Henrique (21) e Gabigol (25) no comando, o Mengão fez incríveis 86 gols no Brasileirão e se tornou o ataque mais positivo. Diante deste cenário, por ter sofrido 37 gols, ficou com saldo de 49. Como o recorde anterior era de 40, o clube passou a ter o melhor saldo da era de pontos corridos com 20 clubes.

Maior artilheiro

Pode levantar a plaquinha! Com 25 gols anotados, Gabigol se tornou o maior goleador da era dos 20 clubes. O recorde anterior era de 23, estabelecido ainda em 2010, mas o nosso camisa 9 alcançou esse feito individual balançando as redes várias vezes e fazendo a alegria da Nação.

Mais vitórias/Menos derrotas

Com 28 vitórias, o Mais Querido bateu a marca antiga de 24 e ainda fez uma gordura. Recorde histórico. Por outro lado, igualou o recorde de menos derrotas em uma só edição: quatro.

Maior invencibilidade

Desde a vitória por 3 a 1 sobre o Grêmio (14ª rodada), no Maracanã, o Flamengo ficou 24 jogos invicto (a marca anterior era de 23). Durante todo esse período, foram 21 vitórias e 3 empates. A arrancada para o título épico e indiscutível também está inserida nesse contexto. 

Visitante com mais vitórias

Se engana quem pensa que só o fator mando de campo fez a diferença. Fora de casa, o heptacampeão venceu onze vezes (CSA, Vasco, Ceará, Avaí, Cruzeiro, Chapecoense, Athletico, Fortaleza, Botafogo, Grêmio e Palmeiras). Números impressionantes de uma equipe que fez questão de destruir vários tabus.

Melhor turno

O segundo turno foi extraordinário. De 57 pontos em disputa, o Mengão fez 48 (quinze vitórias, três empates e uma derrota). A marca anterior era de 47. 

Líder de assistências

De Arrascaeta distribuiu 14 assistências. Peça fundamental na conquista do título, o uruguaio conseguiu um feito individual e expressivo que colocou o CRF em outro patamar. Nunca antes um time havia sido campeão tendo artilheiro e líder em assistências na mesma edição.

Maior público presente

Na partida contra o CSA, no Maracanã, a Nação foi responsável por mais uma quebra de recorde. A vitória por 1 a 0, com gol de Arrascaeta, teve público geral de 69.846 mil. 

Melhor média de público

Com média de 59.285 mil pessoas em cada jogo, o Mengão estabeleceu um novo recorde. A Maior Torcida do Mundo, mais uma vez, fez a diferença. Time e Nação estiveram em perfeita sintonia.

Mister Jorge Jesus: o primeiro treinador estrangeiro campeão na era dos pontos corridos

O português mais amado do mundo foi o único técnico gringo que pisou no país e conseguiu conquistar o Brasileirão desde a mudança de formato. Nada mais justo que essa marca ser quebrada pelo Mister!

Tabus quebrados no decorrer da competição

Alguns tabus foram dissipados pelo melhor time do país.  O Flamengo estava há 44 anos sem vencer o Athletico em Curitiba em edições do Brasileirão. Venceu por 2 a 0, na 25ª rodada, com dois gols de Bruno Henrique. Estava há 15 anos sem vencer o Grêmio no Sul. Venceu por 1 a 0, na 33ª rodada, com gol de Gabigol, e conseguiu a primeira vitória na Arena. Nunca havia vencido o Palmeiras no Allianz Parque. Venceu por 3 a 1, na 36ª rodada, gols de Gabigol (2) e De Arrascaeta.

Campeão Brasileiro e da Libertadores no mesmo ano

Poupar? Que nada! Com força máxima nas duas competições e jogando com a mesma intensidade, o Flamengo chegou no topo da América ao vencer o River Plate de forma épica, e no dia seguinte, enquanto comemorava o título da Conmebol Libertadores, se sagrou campeão Brasileiro. A única vez que um time venceu os dois torneios foi em 1963. Mais um tabu quebrado! 

Nosso hepta foi mágico. Nenhum torcedor vai esquecer essa temporada. Afinal, #EsseÉONossoLugar! #OBrasileiroJáGanhamos7