Libras

Notícias

Resposta do vice de futebol à Calazans

Por - em

Prezado Calazans:

Nem sempre escrever bem, significa ler bem.

Hoje, você foi profundamente injusto.A sua leitura da matéria de domingo foi completamente equivocada, até porque o seu pensamento sôbre o assunto violência é rigorosamente igual ao meu.

Na matéria de domingo, acusei o procurador de ter PREVARICADO.Jamais o acusei de injustiça por ter oferecido denúncia contra o Obina. Acusamos o procurador, eu e você, de não ter oferecido denuncia também aos agressores do Inter contra o Ibson e o próprio Obina. Como após verificar a fita apenas denunciar um agressor, se na realidade foram três?

Portanto amigo, também sou contra qualquer tipo de violência e,institucionalmente o Flamengo também.

O que desejamos é abrir o debate. Como pode por exemplo um procurador denunciar o jogador Tcheco,sem que nada constasse na súmula,o STJD penaliza-lo com três jogos,o jogador cumprir a suspensão, para logo após ser absolvido pelo Pleno.

E o prejuízo técnico do Grêmio, quem paga? Você não acha que aí há algo errado?

E o Felipão que deu um murro, não no calor do jogo, mas após,quando já deveria estar mais tranquilo e tomou 4 jogos (como se joga uma vez por mês) o equivalente a um mês.Qual agressão foi pior,a do Felipão ou do Obina. Caso, você responda que foram iguais, como um ser punido por um mês e o outro por quatro?

Você não acha que este tema, importante e polêmico, deve ser debatido, na busca por soluções justas e que coibam a violência?

Mais: Quando uma transmissão vai ao ar em canal aberto,há uma quantidade enorme de câmeras prontas para flagrar tudo. Nos jogos em canal fechado, muitas vezes sequer há câmera de impedimento, o que equivale a dizer que nem tudo será mostrado.Desta forma, pode se chegar a conclusão que os clubes de maior apelo popular(os que estão sempre na TV aberta) terão sempre os seus jogadores mais vigiados.Isto não é igual e tudo que não é igual é injusto.

Já sugeri de forma oficial à CBF, um amplo debate, na esperança de podermos combater a violência com critério e de forma igual para todos.

Sugiro para encerrar, que você escreva mais, muitíssimo mais e, como diria o mestre Sérgio Noronha, leia com mais capricho.

Que você aproveite bem as merecidas férias.

Forte abraço,

Kleber Leite.