Libras

Notícias

Rebeca Andrade dá show e se classifica para as Olimpíadas

Rubro-negra vence o Pan do Rio e se junta a Flavia Saraiva em Tóquio

Por - em
Maior nome na equipe feminina do Brasil no Pan-Americano do Rio, a rubro-negra Rebeca Andrade deu um show, conquistou a medalha de ouro no individual geral e carimbou seu passaporte para os Jogos Olímpicos de Tóquio. Rebeca representará a ginástica artistica feminina brasileira ao lado de Flavia Saraiva, que já havia se classificado anteriormente. 

 Rebeca foi a melhor ginasta da competição, disputada na Arena Carioca 1, no Rio de Janeiro.  A atleta de 22 anos, foi a melhor em todos os aparelhos e terminou  com um total de 56.700 pontos.  

O Brasil começou sua participação no salto. Nele, Rebeca Andrade conseguiu a melhor nota do dia, entre todas as participantes, com um 14.800. Na passagem pelas barras assimétricas, a ginasta do Flamengo voltou a repetir o melhor resultado do dia, com um 14.400, e abriu mais vantagem na liderança da competição.

Na trave, Rebecca Andrade teve a sua menor nota do dia. Apesar de conseguir uma série com movimentos fortes, a ginasta sofreu dois desequilíbrios e terminou sua passagem com 13.800, seguindo na liderança geral e ficando cada vez mais próxima da vaga olímpica. Fechando sua participação no solo, Rebeca se apresentou ao som de “Baile de Favela” e fechou sua participação no Pan-Americano de ginástica artística com 56.700.

“Eu estou muito feliz, não vou negar. Estava há muito tempo sem competir e é muito bom voltar a competir, principalmente em casa. Seguramos o rojão e é isso ai. Meu pensamento é sempre o mesmo, o Pan-Americano era a minha Olimpíada. Graças a Deus eu consegui manter a calma e isso foi muito importante. Eu amo saltar, adoro fazer o salto. Paralela é o meu favorito e o solo, por tudo que envolve, eu gosto muito também.”, comentou Rebeca após a competição.

“Fui pensando um elemento depois do outro. Foquei primeiro no salto, depois nas paralelas e esqueci o resto, depois foquei na trave e fechei com o solo. Toda as pessoas que trabalham comigo sempre colocaram na cabeça que eu tinha que vir e fazer a minha ginástica, sem pressão”, disse Rebeca.

“Agradeço a todos que torceram por mim, o Chico meu treinador, que entende todas as minhas limitações, a minha equipe multidisciplinar, ao meu clube que nunca desistiu de mim, enfim, é muita gente pra agradecer, agora eu só sei dizer que to muito muito muito feliz. É felicidade que não cabe no peito”, encerrou, bastante emocionada. 

A outra rubro-negra na competição, Lorrane Oliveira terminou na quarta colocação geral.