Libras

Notícias

Trabalho duro na quarentena

Coordenadora técnica da ginástica artística, Georgette Vidor explica como são realizadas as atividades em casa

Por - em

Quase vinte anos após sua última passagem pelo clube, Georgette Vidor retornou ao Flamengo em janeiro para exercer a função de Coordenadora Técnica da Ginástica Artística. A rubro-negra, assim como todos os atletas do Mais Querido, está em casa cumprindo o período de quarentena devido à pandemia do novo coronavírus, mas não deixa de trabalhar um só dia.

De longe, mas atenta a todos os passos dos ginastas, Georgette faz um acompanhamento diário das atividades realizadas pelos atletas durante o isolamento social. Ela detalhou como funciona o processo de monitoramento e ainda opinou sobre o adiamento das Olimpíadas de Tóquio para o próximo ano.

Divulgação: Marcelo Cortes/Flamengo

“Estamos acompanhando os atletas diariamente. As ginastas adultas têm algumas tarefas diárias para fazer, além de terem acompanhamento duas vezes por semana via aplicativo. As meninas da equipe Infantil também estão com esse monitoramento diário, com o qual tentamos realizar o máximo de controle possível das onze ginastas da categoria. Três delas fazem parte de um grupo de treinamento diário de meninas selecionadas para a Seleção Brasileira de base. Então, além de fazer as nossas tarefas, também realizam essas atividades na parte da tarde, com acompanhamento de um dos nossos treinadores”, explicou Georgette.

A coordenadora também detalhou como tem sido a rotina dos ginastas mais novos. "As pequenas do Pré-Infantil também seguem sendo observadas de perto com algumas tarefas e, além disso, estamos realizando reuniões virtuais com os pais. O objetivo desse trabalho de acompanhamento é ter o máximo controle para que as atletas sigam sempre motivadas. Enfim, estamos fazendo o possível para mantê-las em contato e sempre em atividade”, destacou a rubro-negra.

Sobre o adiamento dos Jogos de Tóquio, Georgette Vidor concordou com a decisão do Comitê Olímpico Internacional.

“Acredito que foi o melhor a ser feito nesta época de pandemia mundial. Acho também que foi muito bom para as nossas ginastas, como a Jade, a Rebeca e a Lorrane. Elas vão poder se preparar melhor e tentar garantir uma vaga na disputa do Individual Geral, que é a única possibilidade de classificação que o Brasil ainda pode conquistar. Essa vaga seria disputada através do Pan-Americano da modalidade, marcado para maio, mas que também acabou sendo adiado”, finalizou.

Vale destacar que, até o momento, Flavia Saraiva é a representante rubro-negra confirmada nas provas de Individual Geral das Olimpíadas de Tóquio.


As equipes de ginástica artística do Clube de Regatas do Flamengo contam com recursos de seus patrocinadores – AmBev, Rede D’or, IRB Brasil RE, CSN, Brasil Plural, EY – via Lei de Incentivo Federal/Ministério do Esporte (IR), além de apoio do Comitê Brasileiro de Clubes (CBC) proveniente da descentralização de recursos oriundos da Lei Pelé.