Libras

Notícias

Daiene Dias se emociona com feito histórico na natação brasileira

Rubro-negra foi a primeira atleta do país a subir ao pódio em provas olímpicas no Mundial

Por - em

Dez dias se passaram do Campeonato Mundial de Natação, mas a emoção continua. Aos 29 anos, Daiene Marçal Dias fez uma competição “mágica”, como ela mesma descreve, e se tornou a primeira atleta do Brasil a subir ao pódio em provas olímpicas no torneio. Em Hangzhou, na China, a rubro-negra conquistou a medalha de bronze para o país na prova dos 100m Borboleta e, de quebra, bateu o recorde sul-americano.



Emocionada com o feito, Daiene compartilhou sua experiência com um relato ao Site Oficial.

“Foi uma competição incrível, bem mágica mesmo. Treinei muito para esse Mundial, queria muito chegar até a final e estar entre as oito melhores do mundo, como já havia feito em Doha 2014 e Windsor 2016”, afirmou a capixaba. “Amo nadar os 100m Borboleta e a cada caída na água as coisas estavam fluindo e eu estava ficando cada vez mais confiante de que poderia ir além”.

“Nadei a eliminatória e já fiz o meu melhor tempo pessoal. Tempo esse que eu não conseguia baixar havia quatro anos. Isso já me deixou bem feliz e empolgada para a próxima queda na água. Fui para a semifinal e consegui abaixar meu tempo mais uma vez e, desta vez, veio junto com o recorde sul-americano da prova. Fiquei radiante de felicidade pelo recorde, por ter entrado na final e por observar que eu estava no jogo. Foi aí que eu parei e pensei ‘essa vai ser a competição da minha vida. Está tudo dando certo e agora é tirar tudo que eu tenho de força e agarrar com unhas e dentes essa oportunidade, segurar até o fim’. E foi isso que eu fiz. Fui bem decidida do que queria, passei forte e tentei segurar o máximo que eu podia”, contou.


“No final da prova, ao olhar o placar, eu quase nem acreditei. Foi maravilhoso, uma mistura de sensações: de alívio, de gratidão e de saber que todo sacrifício valeu a pena. Fazer o melhor tempo da vida em uma final de Mundial, bater o recorde sul-americano e subir ao pódio em uma competição como essa foi magnífico”, comemorou Daiene, finalizando. “Espero que com esse resultado eu consiga contribuir um pouquinho para a geração mais nova. Principalmente para as meninas. Sim, tudo é possível quando se acredita e trabalha duro. Que cada vez mais possamos evoluir e estar competindo de igual para igual com as melhores do mundo”. 

Com passagens pela Seleção Brasileira, a rubro-negra disputou os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016, sendo semifinalista olímpica nos 100m Borboleta e recordista sul-americana nos 50m Borboleta. Em março de 2018, Daiene chegou ao Flamengo e já conquistou medalhas importantes para o Mais Querido. Em agosto, ela conseguiu o ouro nos 100m Borboleta e nos 50m Borboleta no Troféu José Finkel. Na semana anterior, havia conquistado o título do Campeonato Mundial Militar no Revezamento 4x100 Medley Misto.

As equipes de natação do Clube de Regatas do Flamengo contam com recursos de seus patrocinadores – AmBev, Rede D’or, IRB Brasil RE, CSN, Brasil Plural, EY – via Lei de Incentivo Federal/Ministério do Esporte (IR), além de apoio do Comitê Brasileiro de Clubes (CBC) proveniente da descentralização de recursos oriundos da Lei Pelé.