Libras

Notícias

FlaRemo conquista três medalhas de ouro na Holland Becker, tradicional regata em Amsterdã

Resultado internacional é inédito para atletas brasileiros; atletas seguirão na Europa para a disputa da Copa do Mundo, em julho

Por - em

Foto: Assessoria de Imprensa/ CBR

O FlaRemo está voando, no Brasil e no exterior! Nosso esporte fundador foi muito bem representado, neste final de semana, na Holland Becker, tradicional regata em Amsterdã, e, uma semana após a conquista da 3ª Regata Estadual, os remadores rubro-negros levarão para casa três medalhas de ouro internacionais.



No sábado (25), Alef Fontoura e Bernardo Boggian, remando o Dois Sem Sênior, e Vangelys Reinke e David Souza, remando o Dois Sem Peso-leve, conquistaram as finais de cada barco. Neste domingo (26), o ouro veio com o barco Quatro Sem, com os quatro rubro-negros remando juntos. O resultado representa uma conquista internacional inédita para brasileiros.


"Os remadores rubro-negros fizeram uma excelente competição no início dessa rápida temporada na Europa. O clube fez um grande esforço, junto com os atletas e o técnico Bernhard Stomporowski, para viabilizar esta participação. Queremos proporcionar experiência internacional aos nossos atletas que buscam medalhas pela Seleção Brasileira nos Jogos Sul-americanos e Pan-americanos, e, para isso, não mediremos esforços para competir no exterior. A conquista destas três medalhas de ouro na Holland Becker é inédita e mostra o quanto nossa equipe está evoluindo, com entendimento de que é necessário investimento e comprometimento para melhorar o remo brasileiro", disse Marcello Varriale, gerente geral da modalidade no Flamengo.


Agora, nossos atletas seguem na Europa para a Copa do Mundo, que acontece entre 8 e 10 de julho.


As equipes de remo e canoagem do Clube de Regatas do Flamengo contam com recursos de seus patrocinadores – Estácio, AmBev, Rede D’or, IRB Brasil RE, CSN, Brasil Plural, EY – via Lei de Incentivo Federal/Ministério do Esporte (IR) e Lei de Incentivo Estadual/Secretaria de Estado de Esporte, Lazer e Juventude (Seelje) do Rio de Janeiro, além de apoio do Comitê Brasileiro de Clubes (CBC) proveniente da descentralização de recursos oriundos da Lei Pelé.