Libras

Notícias

Isaquias Queiroz e Jacky Godmann desembarcam em Tóquio

Canoístas rubro-negros estreiam nos Jogos Olímpicos no dia 1º de agosto

Por - em
Veterano e estreante, Isaquias Queiroz e Jacky Godmann desembarcaram no Japão neste domingo (18) para a disputa dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Depois de uma semana de treinamentos em Portugal, a dupla encara agora a aclimatação e período de treinos no Lago Miyagase, na capital japonesa.

Isaquias fez história em 2016, no Rio de Janeiro, ao se tornar o brasileiro com maior número de medalhas em uma única edição das Olimpíadas. Foram três no total: um bronze no C1 200m e duas pratas, no C1 1000m e no C2 1000m, ao lado de Erlon de Souza. Com a prova dos 200m retirada do programa olímpico, o rubro-negro repetirá a participação no barco individual e em dupla nos 1000m, em busca do topo do pódio. O parceiro em Tóquio será o jovem Jacky Godmann, que estreou recentemente em competições internacionais e garantiu a participação nos Jogos há menos de um mês.

Em maio, ao lado do ídolo Isaquias, Jacky disputou seu primeiro campeonato fora do Brasil, a etapa de Szeged (HUN) da Copa do Mundo de Canoagem. Logo de cara, os rubro-negros conquistaram a medalha de bronze. Foi a segunda de Queiroz no torneio, que conseguiu a prata no individual no dia anterior.

Confira a programação da canoagem velocidade nos Jogos Olímpicos de Tóquio:

C2 1000m - Isaquias Queiroz e Jacky Godmann
01/08 - Eliminatórias - 22h32
02/08 - Quartas de final - 00h36
02/08 - Semifinal - 21h46
02/08 - Final B - 23h45
02/08 - Final A - 23h55

C1 1000m - Isaquias Queiroz
05/08 - Eliminatórias - 21h30
05/08 - Quartas de Final - 23h30
06/08 - Semifinal - 21h30
06/08 - Final B - 23h
06/08 - Final A - 23h10

As equipes de remo do Clube de Regatas do Flamengo contam com recursos de seus patrocinadores – Estácio, AmBev, Rede D’or, IRB Brasil RE, CSN, Brasil Plural, EY – via Lei de Incentivo Federal/Ministério do Esporte (IR) e Lei de Incentivo Estadual/Secretaria de Estado de Esporte, Lazer e Juventude (Seelje) do Rio de Janeiro, além de apoio do Comitê Brasileiro de Clubes (CBC) proveniente da descentralização de recursos oriundos da Lei Pelé.