Libras

Notícias

Com equipe Juvenil, Flamengo disputa Campeonato Estadual Adulto Masculino de Vôlei

Mais Querido estreia neste sábado contra o Tijuca Tênis Clube

Por - em
O Flamengo estreia neste sábado (01) no Campeonato Estadual Masculino de Vôlei. Contra o Tijuca Tênis Clube, o Mais Querido faz sua primeira partida na competição às 17h, no ginásio Togo Renan, na sede da Gávea. O torneio é válido pela categoria Adulto, mas o Rubro-Negro entra em quadra com a equipe Juvenil com o objetivo de dar experiência aos jovens atletas.

“A gente está se preparando, mas vamos jogar com a garotada que já vem disputando o Estadual da categoria para dar uma bagagem maior para eles”, disse Arly Cunha, técnico do time do Mais Querido. “É sempre bom jogar um campeonato Adulto e acredito que eles façam uma boa participação porque é importante uma equipe Juvenil estar sempre próxima de um Adulto. Vai ser ume experiência bem proveitosa para todos eles”. 

Compõem o time Lucas Rocha, Luís Soares, David Brandão, Caio Lima, Vinicius Ribeiro, Danilo Garcia, Lucas Henrique, Lucas Aguinelo, Alan Pessanha, Marcus Franquini, Rodrigo Nogueira, Vítor Neves e Thiago Fernando, comandados por Arly e pelo assistente técnico Marcelo Sá. Em julho, o grupo conquistou a medalha de bronze na Copa Cidade Maravilhosa de Voleibol. 

Além de Flamengo e Tijuca, a competição conta também com os times do Botafogo, Juiz de Fora e SESC-RJ. Este último, campeão de 2017, já está classificado para a grande final, marcada para o dia 22 de setembro. 

Confira abaixo as partidas do Mais Querido no Campeonato Estadual Adulto de Vôlei Masculino:

01/09 – Flamengo x Tijuca Tênis Clube, às 17h – Gávea
13/09 – Flamengo x Botafogo, às 19h – General Severiano
16/09 – Flamengo x Juiz de Fora, às 17h – Gávea


As equipes de vôlei do Clube de Regatas do Flamengo contam com recursos de seus patrocinadores – Estácio, AmBev, Rede D’or, IRB Brasil RE, CSN, Brasil Plural, EY – via Lei de Incentivo Federal/Ministério do Esporte (IR) e Lei de Incentivo Estadual/Secretaria de Estado de Esporte, Lazer e Juventude (Seelje) do Rio de Janeiro, além de apoio do Comitê Brasileiro de Clubes (CBC) proveniente da descentralização de recursos oriundos da Lei Pelé.