Libras

Notícias

Flamengo inicia caminhada de volta à elite do vôlei nacional neste domingo

Rubro-negro estreia na Superliga B contra Cefa, em Marau (RS)

Por - em
O time de vôlei do Flamengo foi apresentado em agosto e a expectativa formada correspondia ao tamanho da camisa rubro-negra e da história na competição. Campeão da Superliga em 2001, o time feminino do Mais Querido estava de volta ao cenário do vôlei nacional. Mas seguindo as regras, a equipe deveria realizar o caminho tradicional e subir em quadra da B para a A. 

Foram meses de treino e alguns amistosos, além da disputa da Superliga C, conquistada em outubro, em Recife. O Flamengo não havia se programado para a competição, mas com a vitória sobre a Associação de Gestores de Esporte de Rendimento por 3 a 0, a vaga estava garantida. 

Com a participação na B sacramentada, o time voltou aos trabalhos na Gávea e esperou a hora de entrar em quadra de forma oficial para o grande objetivo da temporada. As meninas comandadas do Alexandre Ferrante poderão mostrar a que vieram.

No próximo dia 20, a bola vai subir para Flamengo x Cefa, em Marau, Rio Grande Sul, no início da caminhada de sete rodadas de classificação, além dos playoffs. Oito equipes disputam as duas vagas na elite de 2019.

Ao contrário da primeira divisão, na B, os times possuem um único objetivo: subir. Para o Flamengo, o projeto foi montado em torno da ascensão para a Superliga A e, para as jogadoras, o time precisa saber controlar a ansiedade para não cair em armadilhas durante a competição, como disse a levantadora Rafaela Lima.

“Ficar ansioso nesse momento é normal, mas o mais importante é saber converter toda essa ansiedade em motivação para ‘colocar para fora’ tudo que estamos treinando há seis meses. E estamos prontas para isso”, disse a camisa 3. 

Uma das atletas mais experientes do Mais Querido, com passagens por equipes da Superliga A e times estrangeiros, a ponteira Jessica Silva deu a receita.

“A melhor forma de lidar com a ansiedade da estreia é respirar fundo, relembrar o quanto trabalhamos firme para chegar no momento mais gostoso da temporada, o de jogos, e ter a certeza que fizemos a melhor preparação possível, demostrando em quadra todo nosso empenho e amor por essa camisa”, afirmou a jogadora. 

“Tenho certeza que todas as equipes entrarão em quadra com sede de vitória e se doarão ao máximo para alcança-la, cabe a nós não baixar a guarda. Acredito que estamos preparadas para nos adaptar a cada jogo durante o decorrer de cada partida”, continuou Jessica.

Assim como Jessica, a central Juliana Mello já disputou a Superliga A anteriormente. Para a paulistana, o grande desafio da liga B é lidar com equipes desconhecidas.

“Acho que a maior dificuldade dessa competição é que quase todas as jogadoras ainda são desconhecidas, fora algumas que já jogaram a principal. Isso dificulta porque praticamente vamos ao jogo com uma ‘venda’ nos olhos e acaba sendo uma surpresa”, comentou a meio de rede.

Surpresa essa que deve diminuir depois da primeira partida graças a um acordo entre as equipes participantes. O combinado prevê que os times disponibilizem vídeos de seus jogos na íntegra até 48 horas depois do término, permitindo que as comissões técnicas estudem e avaliem os próximos adversários.

Depois de Cefa (RS), no dia 20, o Flamengo entra em quadra novamente contra o Bradesco (SP), no dia 26 de janeiro, às 17h. O primeiro jogo em casa do Mais Querido será apenas na terceira rodada, contra São José dos Pinhais, no dia 2 de fevereiro, às 18h.