Flamengo Campeão Brasileiro 2009

De Flapédia
Ir para: navegação, pesquisa

Página com informações sobre a equipe do Flamengo que venceu o Campeonato Brasileiro no ano de 2009.

Conteúdo

A formação de um time vencedor

Leonardo Moura, sua chegada coincide com a evolução do time

O hexacampeonato Brasileiro do Flamengo veio pra finalmente consagrar uma geração de torcedores com menos de 25 anos que não chegou a acompanhar o time campeão brasileiro de 1992.

Apesar de muitos terem a oportunidade de ver um time conquistar 2 tricampeonatos estaduais em tão pouco tempo (1999, 2000, 2001; e 2007, 2008, 2009), algo até então inédito no futebol Carioca, não puderam até então comemorar um título com o peso de um Campeonato Brasileiro.

O título também premiou um time que resgatou as tradições do clube e fez o Flamengo voltar a brigar pelas posições de cima na tabela após mais de 10 anos de crise.

O Clube passou por uma reformulação total no final de 2004, quando toda a base do time foi vendida, entre eles jogadores consagrados como Ibson, Júlio César, Athirson, Fabiano Eller, André Bahia, Roger, Jean e Dimba. O inicio de 2005 parecia que uma época sombria iria prevalecer na Gávea. De fato, jogando com um time cheio de jogadores contestados e promessas da base, o time sofreu no Campeonato Carioca de 2005. Iniciou o campeonato com uma derrota por 3x0 para o Olaria, em pleno Maracanã e terminou a mesma perdendo a final da Taça Rio por 4x1 para o rival Fluminense na despedida do meia Zinho.

O Campeonato Brasileiro de 2005 também foi de muito sofrimento para a torcida rubro-negra. O time não podia jogar no Maracanã e por isso vinha enfrentando dificuldades para vencer seus adversários em outros estádios cariocas. O Flamengo estava praticamente rebaixado quando em uma reta final surpreendente conseguiu escapar com antecedência da degola. Nesta arrancada que jogadores como Léo Moura e o goleiro Diego começaram a se destacar.

Devido à arrancada de 2005 e a chegada de boas contratações como do lateral esquerdo Juan ex-Fluminense, do zagueiro Ronaldo Angelim e da promessa Toró, os torcedores rubro-negros começavam o ano com maiores esperanças.

Porém logo no Campeonato Carioca o Flamengo foi eliminado na primeira fase de ambos os turnos e com isso passou a se focar exclusivamente na Copa do Brasil, torneio que acabaria sendo campeão.

Com a conquista a torcida novamente voltaria a lotar os estádios e embalar de vez esse time do Flamengo como um dos mais fortes do país. Agora com o Maracanã reformado e com capacidade máxima disponível (antes a capacidade estava reduzida para 45 mil) o clube tinha tudo que precisava para ter um ano de 2007 glorioso, quando voltaria a disputar a Copa Libertadores da América depois de 5 anos.

O início de 2007 parecia que o time realmente havia se acertado, conquistando a Taça Guanabara e obtendo classificação invicta na primeira fase da Libertadores. Porém a alegria durou pouco e mesmo com o time campeão estadual, 3 dias depois acabou eliminado da competição internacional, principal foco do clube no ano. De positivo pode-se destacar a estrela do goleiro Bruno que defendera dois pênaltis na decisão do Estadual e começara a entrar para a história do clube.

No brasileirão o time vinha fazendo uma campanha irregular e frequentando a zona de rebaixamento (inclusive a lanterna da competição) quando novamente o time fez boas contratações, entre elas do argentino Maxi e a volta de Ibson, tendo sua arrancada característica já no fim do segundo turno. Apesar de ser uma equipe praticamente imbatível em casa não conseguira vencer grandes times fora de seus domínios. Como possuía vários jogos adiados e a grande maioria dos jogos restantes eram no Maracanã o clube conseguiu garantir novamente vaga na Copa Libertadores com 1 rodada de antecedência e resgatou a imagem de um time vencedor para o torcedor rubro-negro.

Este ano foi muita importância, pois foi uma reviravolta do Flamengo na disputa do campeonato, foi o divisor de águas entre um time que brigava na parte de baixo da tabela e um time que brigaria entre os primeiros colocados. Foi neste ano que a torcida percebeu a sua força, e concluiu que o Flamengo tinha sim potencial para ganhar um Campeonato Brasileiro de pontos corridos.

Ciente de que o Flamengo havia alcançado um novo patamar no cenário nacional, a direção do clube resolver fazer contratações mais pontuais como do pentacampeão Kléberson, manteve a base e reforçou as posições mais carantes. Novamente iniciou o ano demonstrando muita força, ganhou a Taça Guanabara com uma campanha impecável (7 vitórias e somente 1 derrota com time reserva), se classificou para as oitavas de finais da Libertadores com a segunda melhor campanha da fase de grupos, e depois se sagrou bicampeão carioca vencendo os dois jogos da final.

Apesar de 2008 ser um ano promissor, acabou sendo marcado como um ano de vexames. Primeiro o clube foi eliminado de maneira traumática da Libertadores, perdendo em casa por 3x0 (sendo que uma derrota por 2 gols de diferença já classificaria o Flamengo). Depois o clube, que era líder isolado com 5 pontos de diferença para o segundo colocado, teve uma sequência de 7 jogos sem vencer e deixou de vez a briga pelo titulo. Como se não bastasse perdeu vários pontos importantes em casa, sempre quanto tinha chances de entrar novamente na disputa pelo título, como a derrota para o Atlético Mineiro por 3x0, pro São Paulo por 4x2 e os empates contra a Portuguesa (2x2), Fluminense (2x2) e Goiás (3x3), sendo que neste último o time chegou a abrir 3x0 logo no primeiro tempo. E finalmente a perda da vaga na Libertadores na última rodada quando o clube precisava de uma vitória simples fora de casa mas acabou sendo derrotado.

Mesmo melhorando a campanha heróica de 2007 em todos os aspectos (mais vitórias, menos derrotas, mais gols marcados e menos gols sofridos) a campanha de 2008 acabou sendo negra, pois todo torcedor rubro-negro já estava ciente da força do time e não se contentava mais com os objetivos de dois anos atrás de apenas fazer uma campanha digna.

No ano de 2009, como o clube não estava classificado para a Libertadores, grande gerador de receitas, o Flamengo resolveu apostar novamente em jogadores promissores. Foi aí que o clube contratou o volante Willians, o lateral Everton Silva e deu mais oportunidades aos reservas Erick Flores, Éverton e Airton.

A receita deu certo e o Flamengo conquistou se quinto tricampeonato estadual, obtendo a hegemonia de títulos do Rio de Janeiro. Para muitos torcedores esta conquista já estava de bom tamanho e bastava para marcar de vez esse time na história do Flamengo, porém para outros uma maior conquista teria que vir. E de fato o ano de 2009 reservaria maiores emoções para a nação rubro-negra.

A competição

O imperador Adriano retorna ao Flamengo para ser campeão

O Campeonato Brasileiro de 2009 iniciou para o Flamengo com as atenções divididas com a Copa do Brasil. Mesmo assim o clube jogou com força total nos primeiros jogos e não conseguiu resultados favoráveis, somou apenas 1 pontos em dois jogos, sem marcar nenhum gol.

Depois de eliminado da Copa do Brasil e embalado com a contratação de Adriano o clube conseguiu formar um ataque de força, composto por Emerson com o próprio Adriano.

Ambos se completavam dentro de campo, enquanto um era aguerrido e ágil o outro era mais oportunista e trombador. Não demorou para a dupla fazer sucesso e cair nas graças da torcida. Enquanto em campo ambos brigavam constantemente pela ponta da artilharia fora dele os rubro-negros celebrava o ataque formado pelo Imperador e Sheik.

Sem dúvida a marca do primeiro turno foi esta dupla. Primeiro turno que foi marcado por altos e baixos, por um time muito irregular que não conseguia se acertar no campeonato, principalmente no setor defensivo.

A volta do interino Andrade como técnico na 12ª rodada da competição serviu como motivação para o time buscar a vitória numero 1.000 em Campeonatos Brasileiros, quebrando um tabu de nunca ter vencido o time do Santos na Vila Belmiro em torneios oficiais.

Logo depois a diretoria resolveu efetivar Andrade como técnico. Porém nem tudo ocorreu como o planejado e uma sequência de 3 derrotas seguidas no começo do segundo turno fez o treinador perigar no cargo da equipe. Além de toda a turbulência costumeira de um time grande que se encontra em queda na tabela (chegando em 14º), a venda de Emerson, um dos principais jogadores do time, e a contusão de Kléberson fez com que a imprensa chegasse a afirmar que o Flamengo brigaria para não ser rebaixado.

A direção do clube não deu tempo para a crise tomar proporções maiores e anunciou a contratação de dois jogadores experientes, a do zagueiro Álvaro e do volante Maldonado. Ambas se encaixaram como uma luva no esquema tático do time. O primeiro deu a liderança e garra que estavam faltando à defesa desde a aposentadoria do Fábio Luciano, enquanto o segundo organizou o meio de campo do Flamengo e facilitou o toque de bola do time.

Tal melhora ficou logo evidenciada nos jogos iniciais, onde desde a estréia de ambos na vitória por 3x0 contra o Santo André pela 22ª rodada, o clube ficou 6 jogos seguidos sem sofrer gol, obtendo 4 vitorias e 2 empates fora de casa.

O time já vinha embalado, com a zaga acertada e o sérvio Petkovic voltando a jogar um futebol de encher olhos. Mas o time ainda era vitima de muita desconfiança, pois dos 6 jogos que estava invicto, 5 foram contra times da parte de baixo da tabela e o outro foi num empate contra o Internacional, onde o gramado do Beira Rio estava encharcado e o futebol era impraticável.

O teste ainda estaria por vir. O Flamengo tinha pela frente todos os times da parte de cima da tabela e a maioria dos jogos seriam disputados fora de casa. Jogando um futebol de campeão conseguiu vencer de virada o detentor do título, São Paulo, e já apresentava um dos melhores futebol do país. Mesmo assim o título ainda estava longe até para o mais otimista dos flameguistas, a própria vaga na Libertadores era encarada como um feito e tanto a ser conquistado.

A esperança de ser campeão finalmente veio quando o clube venceu em uma partida impecável o líder Palmeiras em pleno Palestra Itália por 2x0, com dois belos gols de Petkovic. Esta foi a única derrota do time alvi-verde em casa. Assim o Flamengo estava há seis pontos da liderança e ainda faltavam oito jogos para o fim da competição.

Depois de vencer o clássico contra o Botafogo no Engenhão o time perdeu a invencibilidade de 11 partidas contra o Barueri. No fim das contas a derrota acabou sendo positiva, pois serviu pro time voltar mais atento e conseguir vencer todos os jogos restantes fora de casa.

O goleiro Bruno se destacou após pegar 2 pênaltis contra o Santos em casa e garantiu mais três pontos fundamentais para a campanha. A partida contra o Atlético Mineiro era vista como determinante para o futuro do clube na competição. Ambos brigavam pelo título e quem vencesse encostaria de vez nos líderes. Caso o Flamengo perdesse, a liderança ficaria muito longe e a classificação para a Libertadores se tornaria seu único objetivo.

O time apresentou um futebol vistoso e calou um mineirão lotado. O trauma da derrota foi tão grande para o Atlético-MG que acabou perdendo os 4 jogos restantes e terminando o campeonato apenas na sétima colocação.

Após vencer o Nautico por 2x0 no estádio dos Aflitos e assumir a vice liderança o grupo sofreu uma perda importante, o volante Maldonado, peça essencial para o meio de campo, sofrera uma contusão defendendo a Seleção do Chile e não jogaria mais o campeonato.

Na rodada seguinte a disputa pelo título estava principalmente entre São Paulo e Flamengo. O primeiro teria dois jogos difíceis fora de casa e assim o time da Gávea tinha chances reais de assumir a liderança.

Com a vitória do Botafogo, que brigava contra o rebaixamento, o Flamengo dependia apenas de si para ser campeão, mas para isso o time teria que vencer seus 3 jogos restantes. O grupo entrou em campo para enfrentar o Goiás logo depois da derrota do time tricolor, já sabendo que se vencesse seria líder isolado. O empate por 0x0 frustrou uma torcida que havia quebrado o recorde de público da competição e era inevitável a associação deste resultado com os vexames de 2008.

Porém 29 de Novembro seria um dia mágico para todo flamenguista. Pois o mesmo Goiás que havia empatado com o Flamengo uma semana atrás vencera o São Paulo no Serra Dourada. O Flamengo tinha a tarefa difícil de bater o Corinthians, atual campeão da Copa do Brasil, em Campinas.

O time entrou em campo no mesmo horário da partida do São Paulo e conseguiu vencer por 2x0. Apesar de parecer um placar tranquilo o segundo gol apenas aconteceu nos acréscimos do segundo tempo. Devido a esta vitória o Flamengo finalmente teria alcançado o seu grande objetivo, precisava apenas vencer o Grêmio na última rodada em casa para se sagrar hexacampeão brasileiro.

Durante a semana muitas especulações foram feitas sobre este jogo, pois o Internacional era vice líder e tinha um jogo fácil em casa, ou seja, se Grêmio ganhasse a partida acabaria ajudando seu maior rival.

Em um Maracanã lotado o Grêmio acabou com qualquer acusação e abriu o marcador em uma cobrança de escanteio. O time do Flamengo que já estava muito tenso precisaria agora reverter o placar para se sagrar campeão. A sorte do time foi que apenas oito minutos após o gol tricolor, o zagueiro David empatou a partida em um rebote na área.

O segundo tempo começou com pressão do time rubro negro, que mesmo sem apresentar seu futebol que encantou o país, tentava encurralar o oponente de todas as maneiras. O nervosismo começara a aumentar e a cada minuto que passava e o semblante de desespero começava a ficar mais evidente no time.

Faltando cerca de 20 minutos para o fim da partida em um escanteio cobrado pelo ídolo Petkovic, o zagueiro Ronaldo Angelim, que alguns anos antes cavava poços artesanais no Ceará, saltou mais alto que a zaga do Grêmio e colocou a bola dentro da rede e seu nome na história do Flamengo.

Dezessete anos depois de seu último título de campeão brasileiro o Clube de Regatas do Flamengo finalmente voltara a pintar o Brasil de vermelho e preto.

Campanha

Campeonato Brasileiro 2009
Artigo Flamengo Placar Adversário Estádio
1ª Rodada Flamengo 0 x 2 Cruzeiro Mineirão
2ª Rodada Flamengo 0 x 0 Avaí Maracanã
3ª Rodada Flamengo 2 x 1 Santo André Bruno José Daniel
4ª Rodada Flamengo 2 x 1 Atlético-PR Maracanã
5ª Rodada Flamengo 2 x 4 Sport Ilha do Retiro
6ª Rodada Flamengo 0 x 5 Coritiba Couto Pereira
7ª Rodada Flamengo 4 x 0 Internacional Maracanã
8ª Rodada Flamengo 0 x 0 Fluminense Maracanã
9ª Rodada Flamengo 2 x 1 Vitória Maracanã
10ª Rodada Flamengo 2 x 2 São Paulo Morumbi
11ª Rodada Flamengo 1 x 2 Palmeiras Maracanã
12ª Rodada Flamengo 2 x 2 Botafogo Maracanã
13ª Rodada Flamengo 1 x 1 Barueri Maracanã
14ª Rodada Flamengo 2 x 1 Santos Vila Belmiro
15ª Rodada Flamengo 3 x 1 Atlético-MG Maracanã
16ª Rodada Flamengo 1 x 1 Náutico Maracanã
17ª Rodada Flamengo 2 x 3 Goiás Serra Dourada
18ª Rodada Flamengo 1 x 0 Corinthians Maracanã
19ª Rodada Flamengo 1 x 4 Grêmio Olímpico
20ª Rodada Flamengo 1 x 2 Cruzeiro Maracanã
21ª Rodada Flamengo 0 x 3 Avaí Ressacada
22ª Rodada Flamengo 3 x 0 Santo André Maracanã
23ª Rodada Flamengo 0 x 0 Atlético-PR Arena da Baixada
24ª Rodada Flamengo 3 x 0 Sport Maracanã
25ª Rodada Flamengo 3 x 0 Coritiba Maracanã
26ª Rodada Flamengo 0 x 0 Internacional Beira Rio
27ª Rodada Flamengo 2 x 0 Fluminense Maracanã
28ª Rodada Flamengo 3 x 3 Vitória Barradão
29ª Rodada Flamengo 2 x 1 São Paulo Maracanã
30ª Rodada Flamengo 2 x 0 Palmeiras Palestra Itália
31ª Rodada Flamengo 1 x 0 Botafogo Engenhão
32ª Rodada Flamengo 0 x 2 Barueri Arena Barueri
33ª Rodada Flamengo 1 x 0 Santos Maracanã
34ª Rodada Flamengo 3 x 1 Atlético-MG Mineirão
35ª Rodada Flamengo 2 x 0 Náutico Aflitos
36ª Rodada Flamengo 0 x 0 Goiás Maracanã
37ª Rodada Flamengo 2 x 0 Corinthians Brinco de Ouro
38ª Rodada Flamengo 2 x 1 Grêmio Maracanã
Vitória Empate Derrota

O Elenco

Goleiros
Bruno
Diego
Marcelo Lomba
Paulo Victor
Zagueiros
Álvaro
Ronaldo Angelim
David
Welinton
Fabrício
Marlon
Laterais
Léo Moura
Juan
Everton Silva
Rafael Galhardo
Jorbison
Volantes
Willians
Airton
Maldonado
Toró
Kleberson
Rômulo
Lenon
Meias
Petkovic
Fierro
Everton
Camacho
Erick Flores
Ibson
Alex Cruz
Atacantes
Adriano
Zé Roberto
Emerson
Denis Marques
Maxi
Gil
Josiel
Bruno Mezenga
Técnico
Andrade

Links Externos

Ver também

Ferramentas pessoais
Espaços nominais

Variantes
Ações
Navegação
Ferramentas