Luís Carlos Nunes da Silva

De Flapédia
Ir para: navegação, pesquisa

Lente.pngDesambiguação para outro Carlinhos

Conteúdo

Introdução

Luís Carlos Nunes da Silva (Rio de Janeiro, 19 de Novembro de 1937), que entrou para a história rubro-negra como Carlinhos, é um ex meio-campista que dedicou toda a sua brilhante carreira ao Flamengo. Ao se aposentar, o ex jogador assumiu a função de treinador e conquistou diversos títulos pelo Mais Querido do Brasil.

Dados

Nome Completo: Luís Carlos Nunes da Silva
Apelido: Carlinhos Violino
Dia do Nascimento: 19 de Novembro de 1937
Cidade do Nascimento: Rio de Janeiro (RJ)

1° Jogo: 13 de Abril de 1958 (Flamengo 0x4 Bangu)

Períodos como treinador:

  • De 27/03/1983 até 11/04/1983
  • De 01/04/1987 até 19/04/1987
  • De 20/09/1987 até 22/06/1988
  • De 25/08/1991 até 07/03/1993
  • De 20/05/1994 até 30/10/1994
  • De 28/02/1999 até 20/12/1999
  • De 24/05/2000 até 21/10/2000

Carreira

Como jogador

Carlinhos Violino

Carlinhos atuava como meia e jogou no Flamengo de 1958 a 1969. Neste período, participou das conquistas de dois campeonatos estaduais e do Torneio Rio-São Paulo de 1961, o único vencido pelo rubro-negro.

No dia 20 de janeiro de 1954, Biguá, em sua despedida, entregava a Carlinhos o seu par de chuteiras, gesto que simbolizava a entrega do instrumento de trabalho. História repetida em 1970 quando Carlinhos entregou seu par de chuteiras a um jovem promissor das categorias de base chamado Arthur Antunes Coimbra, o Zico.

Foi um dos poucos jogadores a ganhar o Prêmio Belfort Duarte, por nunca ter sido expulso de campo. Sua forma de jogar com grande classe e o toque de bola refinado o valeram o apelido de "violino". É apontado como um dos melhores jogadores de meio campo de todos os tempos do futebol Brasileiro, apesar de nunca ter feito carreira no scratch verde-amarelo, isto, aliás, uma das grandes frustrações pessoais de Carlinhos.

Pra bem da verdade, o ex meio-campista disputou uma partida com a camisa canarinho, no ano de 1964 contra a Seleção de Portugal. Naquela partida, outro rubro-negro esteve em campo junto com Carlinhos, foi Aírton Beleza, centroavante que fez dupla central de ataque com Pelé. A Seleção Brasileira saiu vitoriosa do Maracanã naquele dia.

Dois anos antes, nos preparativos para a Copa do Mundo de 1962, o então treinador da Seleção Brasileira Aimoré Moreira convocou 41 jogadores para a pré-preparação, destes, apenas 22 iriam ao Chile. Ocorre que, para dar equilíbrio entre os selecionados do Rio e de São Paulo, a comissão técnica preferiu levar, como reserva de Zito, o Zequinha, do Palmeiras, ao invés de Carlinhos Violino, a grande sensação do momento.

Um dos grandes momentos de Carlinhos como jogador foi o Fla-Flu decisivo do campeonato de 1963, quando liderou o time no empate de 0x0 que deu o título ao Flamengo. Naquele jogo, no dia 15 de dezembro, registrou-se o maior público entre dois clubes no futebol brasileiro: 177.020 torcedores, fora os penetras e caronas. Nessa partida 16.947 espectadores não pagaram ingresso.

(Fonte: O Vermelho e o Negro - A pequena grande história do Flamengo - Ruy Castro)

Histórico

Anos Time
1954-1969 Flamengo
1964 Seleção Brasileira

Títulos

Pelo Flamengo

Trofeu riosp.png Trofeu 1.jpg Trofeu 1.jpg

Estatísticas

Ano Jogos Gols Marcados
1958 2 0
1959 23 1
1960 70 7
1961 59 1
1962 52 1
1963 40 2
1964 49 4
1965 48 1
1966 61 1
1967 33 2
1968 57 2
1969 23 1
Total 516 23

Como treinador

Busto de Carlinhos na Gávea

A Gávea, sede oficial do Flamengo, sempre foi chamada carinhosamente por Carlinhos de "Sua segunda casa". Por tal, ao pendurar as chuteiras, o jogador nunca perdeu vínculo com o clube de coração. Tendo trabalhado no Fla por muitos anos, mesmo após a sua aposentadoria dos gramados, Carlinhos Violino recebeu uma primeira oportunidade como treinador do time profissional de futebol ao substituir Paulo César Carpegiani no ano de 1983.

Na sua primeira vez frente ao Flamengo, Carlinhos atuou interinamente por apenas cinco partidas, naquele ano aliás, o Mais Querido do Brasil se sagraria tricampeão Brasileiro sob comando de outro treinador, o seu sucessor, Carlos Alberto Torres.

Ali começava uma brilhante carreira de treinador. Nesta função por sinal, Carlinhos chegou a treinar outros clubes como o Guarani, porém, a sua paixão pelo Flamengo resultaria em, nada mais nada menos, do que sete passagens pela Gávea.

Conhecido internamente como um verdadeiro apaga chamas, pela habilidade com que diversas vezes contornou situações díficeis no futebol do Flamengo, Carlinhos em muito pouco tempo conseguiu se desvencilhar da condição de eterno interino e passou a ser bastante respeitado como treinador, sobretudo, depois de conquistar o tetracampeonato brasileiro comandando o Mengão.

O fato é que na década de 90, Carlinhos já era tratado com muito respeito no metiêr futebolístico, apesar disso, nunca conseguiu boas campanhas á frente de outro clube, o panorama era diferente todavia, quando se tratava de Flamengo. Em 1991, o ex-jogador assumiu mais uma vez o Fla, e disputou o Campeonato Carioca e a Supercopa dos Campeões com um time considerado mediano.

No ano de 1992, comandou o time que surpreendeu á todos depois de chegar na fase final do Campeonato Brasileiro de 1992 e se sagrar pentacampeão em dois jogos históricos contra o rival Botafogo.

Depois desta marcante passagem, vieram mais três, junto com elas mais alguns títulos. Estes números impressionantes credenciam alguns torcedores que consideram o "Violino" como melhor técnico da história do Flamengo, o que não é pouco, pela quantidade enorme de grandes treinadores que passaram pelo rubro-negro carioca.

Sua última passagem pelo Flamengo ocorreu entre maio e outubro de 2000. Algum tempo após a sua demissão, Carlinhos assumiu um posto de diretor técnico. Esteve ao lado de Zagallo, Carlos Alberto Torres e finalmente indicou o amigo João Carlos Costa para a posição. Contudo, a demissão de Costa fez com que Carlinhos pedisse também o seu afastamento das atividades que desenvolvia, o que obviamente não afastou o agora ex-treinador de aparecer frequentemente nas instalações do clube, onde é figurinha carimbada.

No ano de 2008, o Flamengo, via Conselho Fiscal, fez um busto de bronze em homenagem ao ex-jogador e ex-técnico. Na ocasião da cerimônia, o clube também ofereceu á Carlinhos sete medalhas comemorativas, uma por cada título conquistado como treinador da equipe rubro-negra.


Títulos

Pelo Flamengo

232px-CONMEBOL - Mercosur Cup.svg.png Trofeu brasileiro.png Trofeu brasileiro.png Trofeu 1.jpg Trofeu 1.jpg Trofeu 1.jpg Trofeu G.png Trofeu G.png

Estatísticas

Ano Jogos Vitórias Empates Derrotas
1983 5 1 3 1
1987 6 2 4 0
1987-1988 55 29 15 11
1991-1993 107 60 29 18
1994 37 13 14 10
1999 65 36 11 18
2000 38 17 8 13
Total 313 158 84 71

Links Externos

Ver também

Ferramentas pessoais
Espaços nominais

Variantes
Ações
Navegação
Ferramentas