Libras

Os Tricampeonatos Estaduais


1942 -1943 - 1944

O primeiro tricampeonato carioca da história do Flamengo teve um grande mentor: o técnico Flávio Costa. Foi ele quem estruturou a equipe que um 1942 impediu o tricampeonato do Fluminense, liderada em campo por um dos maiores jogadores rubro-negros de todos os tempos: Thomaz Soares da Silva, o Zizinho. Acompanhando o Mestre Ziza estavam craques como Domingos da Guia, Biguá, Bria, Jayme, Valido, Pirillo e Vevé.

Em três anos, foram 44 vitórias, 188 gols marcados e apenas 6 derrotas. O time obteve a incrível média de três gols por partida, tendo Pirilo como artilheiro da campanha: 46 gols. O tri veio com a categoria e a raça de Valido: aos 30 anos, o ponta-direito argentino voltou ao futebol e marcou o gol da conquista de cabeça, aos 41 minutos do segundo tempo da final contra o Vasco, diante de 20 mil torcedores na Gávea.


1953 - 1954 - 1955

O sangue paraguaio foi importantíssimo na conquista do segundo tricampeonato rubro-negro. Vindo do país vizinho, o lendário técnico Fleitas Solich trouxe os conterrâneos Chamorro e Benítez. Os quatro uniram-se a uma grande geração que contava com Pavão, Jodir, Dequinha, Jordan, Joel, Rubens, Paulinho, Índio, Evaristo, Esquerdinha, Zagallo e Dida - arilheiro que foi grande ídolo de infância de Zico.

O terceiro título veio na decisão contra o América, em três partidas. Na primeira, vitória de 1x0; na segunda, uma surpreendente derrota por 5x1; e, na finalíssima, o troco com goleada rubro-negra por 4x1.


1978 - 1979

O terceiro tri do Flamengo foi a primeira grande conquista da equipe mais vitoriosa da história do clube. Liderada por Zico, a geração de Adílio, Rondinelli, Tita e Júnior, reforçada pelos experientes Raul e Carpegiani, ganhou tudo o que foi possível - no Rio, no Brasil, na América do Sul e no Mundo.

Em 1978, o título em cima do Vasco veio com o épico gol de cabeça do zagueiro Rondinelli, o Deus da Raça, que testou com força o escanteio cobrado por Zico para bater o goleiro Leão e impedir o bicampeonato do rival. No incio do ano seguinte, em meio a incerteza sobre o Campeonato Brasileiro, a Federação do Rio decidiu organizar um campeonato que ficou conhecido como "Especial" - e seus dois turnos foram vencidos pelo Flamengo, de forma invicta, tendo Zico como artilheiro. Desta forma, 1979 teve dois campeonatos estaduais, mas apenas um campeão: o segundo torneio teve três turnos e novamente todos foram vencidos pelo Flamengo, de novo com Zico consagrando-se artilheiro.


1999 - 2000 - 2001

A virada do século trouxe o quarto tricampeonato carioca para o Flamengo. A partir de 1999, foram três decisões consecutivas conta o Vasco que geraram histórias inesquecíveis para uma geração de rubro-negros.

No primeiro título, o Maracanã lotado assistiu o Flamengo pressionar seu adversário durante a maior parte do jogo decisivo, em uma tensão que só se aliviou quando Rodrigo Mendes cobrou falta de longa distância e viu sua bala desviar na barreira e vencer o goleiro cruzmaltino. Em 2000, depois de vencerem por 3x0 a primeira partida da final, os rubro-negros encheram as equibancadas para celebrar o bicampeonato em vitória por 2x1, gols de Reinaldo e Tuta.

E, em 2001, a emoção teve seu auge aos 43 minutos do segundo tempo da partida decisiva. Após vencer  o primeiro jogo das finais por 2x1, o Vasco podia perder por até um gol de diferença para garantir o campeonato. Mas uma cobrança perfeita de falta de Petkovic definiu o 3x1 que trouxe o título para a Gávea. Com o lugar já garantido na história do clube, o meio sérvio retornaria para uma segunda passagem pelo Flamengo em 2009, quando também foi decisivo na conquista do hexacampeonato brasileiro.



2007 - 2008 - 2009

Se o Vasco foi derrotado em três finais consecutivas no quarto tri, o quinto veio com vitórias seguidas sobre o Botafogo. A sequência começou em 2007; Renato Augusto, com uma bomba da intermediária, fez o golaço que igualou o placar na segunda partida; com o 2x2, resultado idêntico ao do primeiro jogo, a decisão foi para os pênaltis e o Flamengo saiu vencedor.

Em 2008, Obina marcou nas duas vitórias contra os alvinegros, por 1x0 e 3x1, e garantiu o bi. E em 2009 o tri veio com a repetição da história de 2007: dois empates por 2x2 antecederam a vitória rubro-negra nos pênaltis. Dirigido por Cuca e tendo o zagueiro Fábio Luciano como capitão, o Flamengo não só conquistou o penta tri, mas também colocou-se como o maior vencedor da história do Campeonato Carioca, superando todos os seus rivais em número de conquistas.