Libras

Notícias

Jogadores do FlaBasquete realizam exames oftalmológicos no IORJ

Instituto de Oftalmologia do Rio de Janeiro cuida da visão dos atletas de modalidades olímpicas em parceria com o CUIDAR

Por - em
Na última quinta-feira (5), Anderson Varejão, Ronald Ramon, Wesley Mogi e Matheus Brito, do FlaBasquete visitaram o Instituto de Oftalmologia do Rio de Janeiro para realização de exames oftalmológicos. Os atletas do Flamengo se beneficiam da parceria entre o clube, através do CUIDAR (Centro Unificado de Identificação e Desenvolvimento de Atleta de Rendimento), e o IORJ, iniciada em junho de 2017. O projeto pioneiro no esporte brasileiro tem por objetivo a melhora do desempenho esportivo, cuidando da saúde dos olhos dos atletas das categorias de base e profissionais das modalidades olímpicas.

Desde o início do projeto, 83 rubro-negros já foram contemplados. Basquete, ginástica, natação, nado sincronizado, polo aquático, judô, vôlei e remo são as modalidades olímpicas envolvidas. São realizados exames oftalmológicos de tonometria (pressão ocular), acuidade visual, refração, topografia de córnea, mapeamento de retina e campo visual. 

"A parceria CRF-CUIDAR e IORJ garante aos atletas um acompanhamento da saúde ocular, que permite identificar possíveis problemas oftalmológicos e aprimorar seu desempenho visual. No esporte de alto rendimento, avaliar e treinar a visão é fundamental para melhorar a performance desportiva", afirmou Dr. Gustavo Bonfadini, sócio do IORJ e coordenador do projeto.


Foi a primeira consulta de Varejão, Ramon, Mogi e Matheuzinho no IORJ por meio do CUIDAR.

As equipes de basquete do Clube de Regatas do Flamengo contam com recursos de seus patrocinadores – thinkseg, Estácio, AmBev, Rede D’or, IRB Brasil RE, CSN, Brasil Plural, EY – via Lei de Incentivo Federal/Ministério do Esporte (IR) e Lei de Incentivo Estadual/Secretaria de Estado de Esporte, Lazer e Juventude (Seelje) do Rio de Janeiro, além de apoio do Comitê Brasileiro de Clubes (CBC) proveniente da descentralização de recursos oriundos da Lei Pelé. O Projeto Anjo da Guarda Rubro-Negro, de transferência fiscal de pessoa física, beneficia todas as modalidades olímpicas do Mais Querido.