Libras

Notícias

De olho no pódio: Giovana Stephan

Por - em

O nome de Giovana Stephan se destaca quando se trata do nado artístico brasileiro e mundial. Responsável por formar uma das duplas mais vitoriosas e revolucionárias do esporte, o dueto misto com Renan Alcântara, a atleta abraçou uma causa que poucos se arriscaram: apostar suas fichas em uma parceria com um homem em um esporte considerado tão feminino.

Com 20 anos de carreira e 29 de idade, Giovana hoje se prepara para mais um Pan-Americano com a Seleção, o terceiro até agora. Conquistando tudo que compete vestindo as cores do Flamengo, ela agora pensa em completar mais um ciclo com o verde e amarelo ao lado das companheiras de equipe já tão conhecidas.

Na série 'De Olho no Pódio', o site oficial do Flamengo conta as histórias de alguns dos principais atletas do clube e do Brasil, passando pela vida pessoal, carreira e, claro, o Mais Querido. Conheça um pouco mais daqueles que fazem os esportes olímpicos rubro-negros e brasileiros mais fortes.

Início no nado artístico
Comecei em 1999. Eu fazia ginástica olímpica aqui no Flamengo, mas estava enjoada e gostava muito da natação. Passei na frente de uma das piscinas e vi várias pernas para cima. Era a Seleção Brasileira treinando com a Mônica Rosas. Virei para minha mãe e disse que queria fazer aquilo. Então ela me colocou, participei da primeira competição e percebi que era isso que queria fazer. Eu tinha só 9 anos.

Chegada ao Flamengo
Entrei na ginástica olímpica com 5 anos e minha avó sempre morou aqui do lado, então eu saía da escola e vinha para cá. A velha história de atletas do Flamengo que são da casa desde o início (risos).

Momentos marcantes
Foram tantos Brasileiros marcantes, é difícil escolher só um momento. Vem flashes de várias competições importantes, daquelas fotos de equipe que tiramos depois do título. Pela Seleção Brasileira, o Pan-Americano de 2007, que foi aqui e teve a Roberta Perillier como técnica. Fizemos uma preparação muito legal na piscina do Flamengo. Além disso, o de 2011 também, que foi no México e viramos em cima delas lá na conquista do bronze. Ainda tem a primeira vez que competi com o Renan (Alcântara, dupla no dueto misto) no Sul-Americano em 2016, além do Mundial em 2017.

Parceria com Renan Alcântara
É uma coisa de transformação do nosso esporte, que era basicamente feminino. Foi uma causa que abracei e começou em 2015. Quem nos apresentou foi a Maura Xavier, treinadora da Seleção na época. Perguntei se ele gostaria de voltar para o nado, pois ele estava parado. Então fomos e começou a dar certo. Já fiz duetos com várias meninas, mas com ele foi o que mais deu certo e está dando há quatro anos. Temos uma sintonia. Eu dou uma ideia, ele sugere algo, vejo que vai dar certo na música. Acaba funcionando. Me toca por ser algo revolucionário para a modalidade.

Rotina diária
Quando estamos com a Seleção, vamos às 7h30 para o Parque Aquático Maria Lenk e ficamos até 11h30 ou 12h20. Depois treinamos aqui de 15h às 18h. No segundo semestre, quando estaremos apenas com o clube, será de 14h às 18h todos os dias.

Dificuldades de ser um atleta de alto rendimento
São pequenas dificuldades no dia a dia que são levadas como superação. Antes de tudo, é saber que é um esporte amador e, se você está cursando algo na faculdade que não tem relação com a modalidade, como Educação Física ou Fisioterapia, é normal sentir que ama o que está fazendo, mas que não é aquilo que vai levar para o resto da vida. Aí vai dividindo o tempo. Às vezes falta apoio da família, da faculdade ou escola. Precisa saber conciliar.

Principais competições e preparação para o Pan
O Mundial e o Pan-Americano são as mais importantes. Ainda devemos disputar uma competição na Argentina e o Campeonato Brasileiro pelo Flamengo. Estamos em reta final de preparação para o Pan, já juntando a equipe para buscar motivação máxima. Está crescendo aquele sentimento pré-competição em que o time já está borbulhando. Ainda não temos dueto misto nos Jogos Olímpicos, então estamos torcendo para ver se entrará no programa de 2024.

Estrutura familiar
Sou filha única e meus pais me dão muito apoio. Minha mãe sempre foi fã e me ajudou muito. Meu pai não vai muito em competição.

Ídolo no esporte
Gostava muito do Oscar Schmidt. Admirava muito ele. Também era fã da Seleção Brasileira do Bernardinho como um conjunto, como lidavam com tudo.

Hobbies
Gosto de fotografar e fazer fotos de tudo. É um jeito de me conhecer. Fiz faculdade de economia e agora estou cursando fisioterapia.

Outras modalidades
Assisto como todo fã de esporte. Se está passando, paro para assistir, mas não acompanho tanto de perto.

Tempo livre
Netflix e descansar. Aproveito para fazer o que está faltando, organizar minha vida. Ir à praia, cachoeira.

Ficha técnica
Nome: Giovana Nunes Stephan
Idade: 29 anos
Data de nascimento: 05/05/1990
Altura: 1,65m
Naturalidade: Itaú de Minas, Minas Gerais
Principais conquistas: Construir o dueto misto referência no Brasil, várias medalhas no Brasileiro e no Campeonato Sul-Americano, bronze nos Pan-Americanos de 2007 e 2011.