Libras

Notícias

De olho no pódio: Milena Viana

Por - em
Milena Viana tem apenas 21 anos, mas já está ganhando destaque no remo rubro-negro e brasileiro. Às vésperas de disputar seu primeiro Pan-Americano, a atleta começou aos 12 no Flamengo e tem grande identificação com o clube que a formou. Três vezes mais rápida do país, Milena tem o sonho de chegar às Olimpíadas e conquistar uma medalha na competição.

Fã de Isaquias Queiroz, canoísta do Flamengo que tem duas medalhas olímpicas na carreira, ela ainda não teve a oportunidade de conversar com o ídolo, mas admira de longe a trajetória de superação. Agora, ela tem a chance de inspirar outra pessoa: a própria irmã, que aos 10 anos já observa atentamente os passos de Milena.

Na série 'De Olho no Pódio', o site oficial do Flamengo conta as histórias de alguns dos principais atletas do clube e do Brasil, passando pela vida pessoal, carreira e, claro, o Mais Querido. Conheça um pouco mais daqueles que fazem os esportes olímpicos rubro-negros e brasileiros mais fortes.

Início no esporte
Comecei a praticar o remo com 12 anos. Nos dois primeiros anos eu encarava como um hobby, mas isso mudou quando competi meu primeiro Brasileiro e ganhei. Então comecei a me dedicar cada vez mais, pois essa sensação de vencer era muito boa. Com 14 ou 15 anos resolvi entrar a fundo no esporte.

Meu início foi aqui no Flamengo através de um projeto social que faziam de captação nas escolas. Meu primeiro treinador foi no meu colégio, me convidou e eu me interessei para vir.

Retorno ao Fla
Saí no final de 2016, pois não estava feliz aqui e meu rendimento caiu. Então fui para o Grêmio Náutico, onde o Marcello Varriale atuava como técnico. Fiquei um ano lá treinando e ele decidiu vir para o Flamengo. Voltei acreditando no projeto dele e está dando tudo certo.

Momento mais marcante no Flamengo
Foi agora em 2019, quando conquistei pelo terceiro ano consecutivo o título de mais rápida do Brasil. Tivemos a Seletiva em abril deste ano e foi assim que cheguei a marca.

Rotina diária
Treinamos todos os dias pela manhã e à tarde. De manhã é sempre mais puxado. Também temos atividades nos finais de semana.

Maiores dificuldades de ser um atleta de alto rendimento
Abrir mão de alguns momentos para estar aqui no dia seguinte. Já deixei de estar com a minha família em algumas oportunidades, em festas à noite, por precisar estar aqui no dia seguinte às 6h. Não tinha como ficar com eles. Isso é o mais difícil, abrir mão de tudo para correr atrás de um sonho.

Pan-Americano de Lima
A principal competição é o Pan-Americano. Acho que temos capacidade de conseguir excelentes resultados, pois a equipe está bem entrosada e estamos trabalhando bastante. Pensando em Jogos Olímpicos, já muda o cenário, pois os barcos são diferentes, os índices também. Vamos ter que sentar com o treinador para ver o que será melhor.

Ascensão cedo e futuro
Pretendo muito ir para os Jogos Olímpicos no Skiff, que é um barco que gosto muito de remar. Por já ter tido muitos títulos no passado e esse ano nessa competição, acredito que posso me dar muito bem. Porém, não posso me acomodar e ficar confortável por essas conquistas, achando que deixando as coisas fluírem elas vão acontecer. Tem que trabalhar cada vez mais. Daqui para frente, é focar cada vez mais no objetivo por saber que dá certo. Pretendo continuar no esporte até os 30 ou alcançar meus objetivos. Tenho um grande potencial.

Família
Meus pais são casados e ainda tenho uma irmã mais nova que também está remando aqui no clube. Nos damos muito bem. A minha irmã fica até com ciúme às vezes quando tem competição. Meus pais ficam muito felizes e ela fica querendo também. Até que ela ficou toda boba ao competir na Regata do Futuro, ficando em segundo. Acredito que ela ainda não tenha noção da dimensão do que é ir ao Pan-Americano, para um Mundial. Acho que, quando ela vir e passar por isso, ficará muito orgulhosa.

Ídolo
Isaquias Queiroz. Acho a história dele bem legal. É um cara que não tinha nada e conquistou duas medalhas em edições de Jogos Olímpicos. Mostra que você não precisa ter tudo do bom e do melhor para conseguir conquistar todos os seus objetivos, precisa ser persistente, correr atrás. Vejo ele como um grande ídolo. Ainda não tive oportunidade de conversar com ele, pois quando estava aqui estava sempre rodeado de gente. Além disso, ele sempre estava na água no pouco tempo que eu tinha, ou não estava aqui. Mas pretendo conversar um dia.

Hobbies
Viajar, ir à praia, passear com os cachorros. Tirando isso é remar.

Outras modalidades
Gosto de acompanhar basquete, futebol e natação.

Tempo livre
Assistir filme, dormir e ficar mais em casa.

Ficha técnica
Nome: Milena Matias Viana
Idade: 21 anos
Altura: 1,75m
Naturalidade: Rio de Janeiro (RJ)
Principais conquistas: Tricampeonato da Seletiva (mais rápida do Brasil), nono lugar no Single Skiff no Mundial Sub23 em 2018 e décimo quinto na Copa do Mundo em 2018.