Libras

Notícias

Sub-17 desperdiça muitas chances, e perde a final da Taça Guanabara

Melhores em campo ao longo de todo o clássico, Garotos do Ninho perdem muitos gols, e são derrotados por 2x1 para o Fluminense.

Por - em
Assim como na primeira partida disputada semana passada na Gávea, a equipe Sub-17 do Flamengo teve o controle do jogo e foi muito superior ao adversário no confronto de volta da final da Taça Guanabara, contra o Fluminense, disputado na manhã deste sábado (29), no Estádio das Laranjeiras. A chances criadas foram inúmeras, com direito a bola na trave e gol anulado pela arbitragem. O placar final de 2x1 (Pedro Arthur) a favor da equipe da casa foi injusto pelo o que as duas equipes produziram ao longo das duas partidas, mas deu o título do turno para o Fluminense. O próximo desafio do Mais Querido será na próxima quarta-feira (3), quando viaja até Osasco para enfrentar o São Paulo, no duelo de ida da semifinal do Campeonato Brasileiro.



Como todo jogo decisivo, o clássico começou tenso, muito equilibrado e com poucas chances de gol. A primeira foi do Fluminense, aos 12 minutos, em chute de fora da área de Calegari, à esquerda do gol de Bruno. O Flamengo respondeu no lance seguinte, e por muito pouco não abriu o marcador. Pedro Arthur fez boa jogada pela ponta direita e cruzou rasteiro na área, A bola passou por Ryan Luka e Lázaro, mas não por Carlos Daniel. Ele dominou e bateu forte, mas a zaga travou no momento certo e salvou a equipe tricolor.

O Mais Querido passou a chegar com mais frequência, e a levar perigo à baliza adversária. Aos 19 minutos, Marcos Felipe cruzou e o capitão Gabriel Noga quase alcançou a bola para fazer o primeiro gol rubro-negro na final. Na sequência da jogada, Ryan Luka chutou sem ângulo e a bola saiu pela linha de fundo. Quando os Garotos do Ninho eram melhores no jogo, o Fluminense abriu o placar em chute cruzado de Miguel, aos 21 minutos. O Mais Querido não se abalou e foi em busca do empate. Aos 34, Gabriel Noga cabeceou e a bola passou tirando tinta da trave esquerda do goleiro Cayo Felipe, no último lance de perigo antes do intervalo.

O Flamengo voltou pressionando no início da segunda etapa. Aos dois minutos, Pedro Arthur bateu e o goleiro fez a defesa. No minuto seguinte, Lázaro bateu cruzado, a zaga cortou em cima da linha, e na sobra Daniel Cabral soltou uma bomba por cima do gol. Com as expulsões de Ryan Luka e Davi, o jogo ficou mais aberto e os Garotos do Ninho passaram a atuar no campo ofensivo em busca do gol de empate. Acuado, o Fluminense só se defendia. O empate não demorou a vir. Aos sete minutos, Carlos Daniel fez boa jogada e cruzou para Pedro Arthur, que escorou para deixar tudo igual no placar.



Novamente quando o Mais Querido era melhor em campo, o Fluminense achou o gol aos 17 minutos, com John Kennedy. Os Garotos do Ninho voltaram à luta e à pressão. Aos 22 minutos, Lázaro cabeceou para fora. Aos 25, novamente Lázaro bateu mascado, para defesa de Cayo Felipe. Aos 29 minutos, Otavio fez uma pintura, um golaço de bicicleta no ângulo. A arbitragem, porém, marcou impedimento e anulou o gol.

A pressão rubro-negra era quase que insustentável. Aos 32, Will bateu cruzado, e a zaga bloqueou com o goleiro já batido. Um minuto depois, Caio bateu cruzado e a bola explodiu na trave. Aos 38, Will bateu da marca do pênalti. O goleiro defendeu no susto, e salvou a bola em cima da linha na sequência. A última chance do Mais Querido aconteceu já nos acréscimos, em chute cruzado de Marcos Felipe. O goleiro Cayo Felipe fez mais uma defesa, no lance final da partida.

Flamengo: Bruno, Marcos Felipe, Gabriel Noga, Otavio, Caio; Dhouglas (Maycon), Daniel Cabral, Lázaro; Pedro Arthur (Felipe Chrysman), Carlos Daniel (Will) e Ryan Luka. Treinador: Phelipe Leal.