Libras

Notícias

Entrevista de Obina à TV ODia

Por - em

Na volta aos gramados, Obina espera dedicar primeiro gol para sua família e fisioterapeutas do Fla

Craque diz que dentro da área não tem ninguém igual ao baixinho Romário

Rio - Em entrevista à TV O DIA, o atacante do Flamengo, Obina, revelou que na sua volta aos gramados, previsão é em julho, ele espera dedicar o seu primeiro gol para sua família e os fisioterapeutas do Fla. "Estou me dedicando e trabalhando ao máximo para conseguir logo essa recuperação. Quero dedicar o primeiro gol nessa minha volta para toda família e o pessoal da fisioterapia. Espero homenagear todos que me ajudam. Só peço que os torcedores tenha paciência. Não vou fazer logo três gols na primeira partida", disse.

O xodó da torcida do Flamengo preferiu não falar sobre o melhor companheiro de ataque. "Não é só Roni e Souza. O Flamengo tem vários atacantes. Gosto muito de jogar com os dois. Quero estar na equipe, independente de quem estiver ao meu lado. O Roni se dedica ao máximo, mas infelizmente a bola não está entrando".

Confira trechos da entrevista com Obina:

Eliminação na Libertadores - "Faltou inteligência. Levamos três gols fora de casa e nossa eliminação aconteceu no Uruguai. Em casa, nós demos um show. Faltou inteligência fora de casa".

Momento de sair do Flamengo - "Nem penso em sair do Flamengo. Mesmo machucado, eu tenho auxílio de todo mundo no clube e quero estar focado para jogar nesse Brasileirão. Uma transferência para Europa seria pela questão financeira. Poderia ajudar minha família, mas nesse momento penso em ficar no Flamengo".

Jogar no Vasco - "Seria traição muito grande para torcida do Flamengo. Nem o presidente do Flamengo aceitaria fazer uma negociação dessa".

Dúvida sobre seu potencial - "Em 2005, eu fiquei um mês machucado e o torcedor tinha dúvida do meu potencial. Dei volta por volta e vivo momento diferente. Peguei a cara do Flamengo, os gols começaram a sair, e o torcedor gosta de mim e demonstra muito apoio. Fiquei com muito medo. Entrava nos jogos e os torcedores diziam para o técnico não fazer a substituição. Tive paciência e aviso que qualquer jogar que venha jogar no Flamengo, ele precisa ter paciência".

Romário - "Por tudo que fez, ele merece e muito mais homenagem. Ele é o melhor atacante do Brasil. Dentro da área não tem igual. Ele sabe o momento que tem que parar, mas ele tem que continuar jogando e fazendo os gols que ele sabe. Qualquer jogador quer jogar ao lado do Romário".

Temporada 2007 - "Dedicação não vai faltar. Conqusitamos vitória muito boa fora de casa. Queremos conquistar o título e a vaga novamente para Libertadores".

Noite no Rio - "Não sou muito de farra. Sou família. Tenho referência em casa e quero voltar o mais cedo para casa para dar atenção para minha filha".

Fazer o gol no Vasco ou evitar lesão - "Queria fazer o gol. Falei isso pra todo mundo. O Flamengo conquistou um título com o gol. Mesmo machucado, os meus companheiros levaram faixa para o estádio e todo esse apoio é muito bom".

Melhor clube para fazer gol - "Sempre dei sorte contra o Vasco".

Comparação com Eto´o - "O Eto´o é bem melhor que eu. Tem pontecial muito grande. Estou querendo melhorar.

Clube de coração - "Sou Vitória. Fui revelado lá e tenho carinho muito grande. Agora, eu sou Vitória e Flamengo".

Momento de lesão - "Na hora, eu tinha esperança que não fosse acontecer uma cirurgia. O doutor Runco, ainda no campo, disse que não sabia, mas no vestiário ele falou que tinha uma fratura e poderia ser caso de operação. Ele ainda deu uma esperança, mas pelo que disse na primeira vez, eu senti que a minha situação estava complicada".

Seleção - "Quero voltar, jogar bem e um dia chegar na Seleção. Todos os jogadores sonham com isso".

Diferença de jogar no Vitória ou Flamengo - "É a cobrança. A torcida aqui não tem muita paciência".

Dia-a-dia - "Acordo 7h30 e chegou na Gávea às 8h30. Depois volto às 15h30. O sacrifício é grande, mas alguém (goleiro ou time) vai ter que pagar por esse período. O início foi complicado, por causa do pós-operação".

Estádio - "Me identifico com o Maracanã. É muito bom jogar lá e com os torcedores apoiando".

Apoio dos torcedores - "É legal o carinho das crianças. Falo para elas correrem atrás de um objetivo e procuro passar tudo de bom que aconteceu na minha vida".

Gol dos sonhos - "O gol que possa dar o título para o Flamengo. Chegar em uma final de Mundial e fazer o gol do título. Já fiz um gol muito importante que o foi o gol do título da Copa do Brasil".

Quantos faltam para o milésimo - "Nem sei. Procuro sempre fazer gols, mas não sei se vou chegar ao milésimo. Quero é fazer gols".

Melhor treinador no Brasil - "Wanderlei Luxemburgo e Ney Franco. Gosto muito do Joel Santana. Ele me ajudou muito. O Renato Gaúcho é um bom treinador. Temos bons nomes no Brasil".

Bruno - Ele é um grande goleiro e pode estar na Copa de 2010. É um grande amigo e me ajuda muito. Ele está bem cotado e espero que ele possa chegar na Seleção.

Infância - "Minha família é humilde. Meu pai vendia peixe. Minha mãe também vendia muito peixe. Sempre mantenho os pés no chãp, porque sou de uma família humilde e tudo que conquistei foi com muito esforço. Minha infância foi complicada, hoje Deus me deu alegria para tirar meu pai e minha mãe daquela situação. O que eu puder fazer para ajudar eles sempre vou fazer".

Alimentação - "Está balanceada. Perdi muito músculo e emagreci no início. Estou comendo um pouco mais, mas espero manter o meu peso. Acarajé só na Bahia".

Favorito ao Brasileiro - "Flamengo. Tem o Santos com o Wanderlei que arrumou bem o time, além do São Paulo".