Libras

Notícias

Ex-lateral Leandro é eternizado com busto na sede do Clube

Bastante emocionado, ídolo rubro-negro descerrou sua imagem esculpida em bronze que ficará na Gávea

Por - em
Foto: Marcelo Côrtes
Uma homenagem mais do que merecida. Leandro, o lateral-direito campeão mundial interclubes pelo Flamengo em 1981, e um dos melhores jogadores da história do clube, teve seu busto inaugurado no hall de entrada da sede social da Gávea, neste sábado (23). O evento contou com a presença do presidente Rodolfo Landim, do vice-presidente geral e jurídico, Rodrigo Dunshee, de outros vice-presidentes, grandes beneméritos, ex-atletas, sócios e centenas de torcedores. Vale ressaltar que o busto foi criado pelo escultor Eduardo Santos e idealizado pelos membros do Fla-Nação. 

Bastante emocionado, Leandro, que levou todos os seus filhos, esposa e outros familiares ao evento, lembrou de sua chegada como jogador à Gávea, e exaltou o orgulho de ter vestido somente a camisa rubro-negra em sua vitoriosa carreira.

"É uma honra muito grande ser homenageado dessa forma. Eu sempre sinto uma energia e força muito grande quando entro aqui no clube. O Flamengo é tudo na minha vida. Cheguei aqui em 1976, e tenho orgulho em dizer que a única camisa que joguei em toda a minha carreira foi com o Manto Sagrado, afirmou. 

Ao descerrar o busto de bronze, o ex-lateral rubro-negro agradeceu a diretoria e ao Fla-Nação pelo sábado histórico no clube, que marcou também o lançamento do novo uniforme rubro-negro para a temporada 2019. 

"Só tenho que agradecer a diretoria, conselho e ao Fla-Nação que está sempre prestigiando os ex-jogadores. Obrigado de coração, Flamengo!, disse Leandro, que vestiu o novo Manto Sagrado, com o número 2 nas costas e seu nome. 

Histórico do Leandro:
Nome completo: José Leandro de Souza Ferreira
Data de Nascimento: 17 de março de 1959
Local: Cabo Frio (RJ)
Período no CRF: 1978 a 1990
Posição: Lateral-direito e Zagueiro
Jogos: 418 
Gols: 14

Títulos:
Mundial Interclubes (1981), Copa Libertadores (1981), Campeonato Brasileiro (1982, 1983 e 1987), Campeonato Carioca (1978, 1979-1º, 1979-2º, 1981 e 1986), Taça Guanabara (1978, 1981, 1982, 1984 e 1988), Taça Rio (1978, 1983, 1985 e 1986), 1º turno do 1º Campeonato Carioca de 1979, 2º turno do 1º e do 2º Campeonato Carioca de 1979, 3º turno do Campeonato Carioca (1979-2º, 1981 e 1987), Torneio Internacional de Punta del Este (1981), Torneio Internacional de Nápoles (1981), Troféu Naranja (1986), Torneio Internacional do Gabão (1987), Copa Kirin (1988) e Torneio Colombino (1988)

Curiosidades: 
1 - Considerado o melhor lateral-direito da história do Flamengo
2 - Disputou a Copa do Mundo de 1982, quando era jogador do CRF, e só não foi para a Copa de 1986 porque não quis.
3 - Capitão do Flamengo na conquista do título estadual de 1986. 
4 - É o 15º jogador que mais atuou na história do CRF.
5 - O Flamengo foi o único clube que Leandro jogou em toda a sua carreira.
6 - Parou de jogar em 1990, quando tinha apenas 31 anos de idade, por problemas no joelho. Suas pernas arqueadas acabaram prejudicando sua carreira. Leandro sempre teve seguidas lesões nos joelhos e aos 24 anos, em 1983, tinha uma artrose forte. 
7 - Por causa dos problemas no joelho, passou a jogar como zagueiro a partir de 1984, quando Jorginho foi contratado. Como zagueiro, foi campeão brasileiro em 1987 e carioca de 1986.
8 - Ganhou a Bola de Prata da revista Placar em 1982 como melhor lateral-direito do Brasileirão e em 1985 como melhor zagueiro.
9 - Seu apelido, entre os jogadores, era Peixe-Frito.
10 - Além de ser eternizado pela Nação como um dos melhores jogadores da história do clube, também é idolatrado por seu amor ao CRF.
11 - Inteligente, técnico, habilidoso, defendia e atacava com a mesma eficiência. 
12 - Seus gols mais importantes pelo Flamengo foram 2: na final do Brasileirão de 1983, na vitória por 3 x 0 sobre o Santos, quando fez o segundo gol, e no Triangular Final do Campeonato Carioca de 1985, quando empatou no último minuto a partida contra o Fluminense, que terminou 1 x 1. Era a primeira rodada do triangular. Se o Flamengo perdesse, seria praticamente eliminado do campeonato.
13 - Disputou as finais da Libertadores e do Carioca, de 1981, jogando como meio-campo. Na final da Libertadores, substituiu Lico, e no Carioca, atuou no lugar de Tita. Na lateral-direita entrou o reserva Nei Dias, nos 2 jogos.