Libras

Notícias

HISTÓRIA: O dia em que Zico parou o Barça

Há exatos 30 anos, Flamengo vencia Barcelona, então campeão da Recopa Européia, pelo Ramon de Carranza.

Por - em

Foi no dia 25 de agosto de 1979. Há exatamente 30 anos, o Flamengo bateu o Barcelona, já naquela época um dos maiores clubes do mundo, e assegurava sua vaga na final do torneio Torneio Ramón de Carranza, em Cádiz, na Espanha. O Flamengo venceria a competição posteriormente, com uma vitória por 2 a 0 (dois gols de Zico) sobre o Ujpest, da Hungria.

Com Cantarele no gol; Toninho na lateral; Manguito e Nelson na zaga; Júnior na lateral esquerda; um meio formado por Andrade, Carpegiani (substituído depois por Adílio) e Zico; e um ataque com Tita, Cláudio Adão (depois Beijoca) e Júlio Cesar (depois Reinaldo), os rubro-negros superaram os então campeões da hoje extinta Recopa Européia (Cup Winners' Cup). Na época, a Recopa era o segundo torneio mais importante do continente europeu, disputada entre os campeões das copas nacionais de cada pais. A equipe catalã tinha jogadores de prestígio da época, como Juan Manuel Asensi e o austríaco Hans Krankl - ambos até hoje lembrados como dois dos maiores nomes que já vestiram as cores do Barça.

Os gols do Flamengo foram marcados por Zico e Júlio Cesar, o Uri Geller. “Foi uma vitória muito importante que nos deu confiança para jogar a decisão contra o time da Hungria, Ujpest Dozsa, que era muito bom também. Mas aí, depois de passar pelo Barcelona, nós fizemos uma grande partida e conquistamos o título com 2 a 0, dois gols meus. Foi a nossa primeira taça Ramon de Carranza, que era sempre um troféu imponente e até difícil de carregar”, relembrou Zico em depoimento exclusivo ao site oficial do Flamengo.

O adversário - A geração atual, que se encanta com o futebol vistoso de Messi e Iniesta, campeões da Champions League 2008/09, talvez nem fosse nascida quando Asensi, Krankl e companhia derrotaram o Fortuna Dusseldorf, por 4 a 3, no Estádio Saint Jakob, em Basel, na Suíça, e conquistaram o primeiro título europeu do Barcelona. “Aquele time tinha o atacante austríaco Hans Krankl, que foi artilheiro da Europa no ano anterior. E ainda o dinamarquês muito bom que, dois anos antes, tinha conquistado a bola de ouro da France Football, o Allan Simonsen. Dois jogadores que estão na galeria do time catalão”, lembra Zico.

A vitória sobre os alemães do Fortuna Dusseldorf marcou o início de uma era de conquistas no Camp Nou. Um ano antes, finalmente, o clube tivera uma eleição aberta para sua presidência, vencida por Josep Luiz Nunes, que deu ao Barça muita estabilidade financeira e colocou os catalães entre os maiores clubes da Europa no ano de 1992, quando o Barcelona finalmente venceria a mais importante competição continental.

A equipe que enfrentou o Flamengo, naquele 25 de agosto de 199, era um pouco diferente do time campeão europeu. Não contava com o holandês Neskeens, um dos principais nomes da famosa Laranja Mecânica. Mas tinha o capitão Asensi, um dos jogadores de maior identificação com o clube em sua história (e autor do terceiro gol catalão na final da Winners Cup), além do goleador austríaco Hans Krankl, que marcara 29 gols em 30 jogos oficiais naquela temporada.

O Flamengo - Embora ainda não tivesse começado sua brilhante trajetória de conquistas nacionais e internacionais, o Flamengo tinha conquistado a maior invencibilidade do futebol brasileiro, ao lado do Botafogo, com 52 jogos (43 vitórias e nove empates). Naquele período, entre outubro de 1978 e maio de 1979, a equipe marcara 137 gols e sofrera apenas 27. Meses depois, o Flamengo ainda conquistaria o terceiro tricampeonato estadual de sua história no futebol.

Aquela equipe já formava a base da “Geração de Ouro” do Flamengo, que viria a conquistar os Campeonatos Brasileiros de 1980, 1982 e 1983, além da Taça Libertadores e do Campeonato Mundial Interclubes de 1981. “Foi interessante que os espanhóis davam muita importância ao torneio, que foi disputado em Cadiz, mas não conheciam o Flamengo, o que era normal naquela época, e por isso, eles não acreditaram que poderíamos complicar as coisas para eles naquele jogo”, conta Zico ao site oficial do Flamengo.

O jogo - Ofensivo, o Flamengo partiu para cima dos Barcelona. Logo aos dois minutos de jogo, Júlio Cesar abriu o placar, aproveitando um lançamento primoroso de Carpegiani. Uri Geller entrou livre na área e mostrou categoria para tocar de pé esquerdo no canto direito do goleiro Amigo: 1 a 0 Flamengo, para surpresa da torcida local. A vantagem no placar fez com que os rubro-negros jogassem ainda mais soltos. Tocando a bola e impondo seu ritmo de jogo, o time colocou o Barcelona na roda e cozinhou a partida até marcar o segundo. Aos 38, Toninho driblou o goleiro e estava prestes a empurrar a bola para o fundo da rede, mas foi derrubado por Amigo: pênalti, que, no entanto, o juiz optou por marcar falta, fora da área. Mal sabiam os catalães que, com Zico em campo, uma falta era quase tão perigosa. O Galinho ajeitou com carinho e, com perfeição, colocou a bola no ângulo direito, definindo o placar do primeiro tempo: Flamengo 2 a 0.

A segunda etapa foi de um domínio ainda maior dos brasileiros. Jogando à vontade, a equipe encantou os espanhóis. Conforme o final do jogo se aproximava, o Fla também diminuía o ritmo e tentava sair nos contra-ataques, explorando a velocidade de Cláudio Adão. Mas a equipe não conseguiu ampliar e acabou sofrendo um gol. Aos 34 minutos, Esteban, que havia entrado no lugar de Rexach, aproveitou uma sobra de bola para fulminar Cantarele: 2 a 1. O gol acordou o Flamengo, que voltou a atacar e perderia pelo menos quatro chances claras de gol nos minutos finais. A vitória já estava selada e o Mengão saiu de campo ovacionado pela torcida espanhola. A fonte do relato do jogo é a edição daquela época do Jornal dos Sports.

Em quatro confrontos entre os clubes, o Flamengo venceu três partidas e o Barça apenas uma.

FICHA TÉCNICA - Barcelona 1 x 2 Flamengo

Torneio Ramón de Carranza

Barcelona – Amigo; Zumbiria, Migueli, Olmo e Stela; Canotio, Landaburu e Asensi; Simonsen, Krankl e Rexach.

Flamengo – Cantarele; Toninho, Manguito, Nelson e Júnior; Andrade, Carpegiani(Adilio) e Zico; Tita, Claudio Adão(Beijoca) e Júlio Cesar(Reinaldo).

Data: 25 de Agosto de 1979

Local: Estádio Ramón de Carranza, em Cádiz (Espanha)

Arbitragem: Perez

Gols: Júlio Cesar (Flamengo) aos 2 minutos do primeiro tempo, e Zico (Flamengo) aos 38 minutos do primeiro tempo; e Esteban (Barcelona) aos 34 minutos do segundo tempo.

Da equipe do site oficial do Flamengo (TB/JSA)