Libras

Notícias

A estrada para o Flamengo: Flávia Saraiva

Por - em

Um dos grandes nomes da ginástica artística nacional e esperança de medalha para o Brasil nos Jogos Olímpicos de Tóquio, Flávia Saraiva completa em 2020 quatro temporadas vestindo as cores rubro-negras. Ainda muito nova, Flavinha deu os primeiros passos na modalidade e sonhava em se tornar uma ginasta de renome internacional, seguindo a trajetória dos seus ídolos no esporte: Daniele Hypólito e Daiane dos Santos. Conheça mais sobre o caminho da rubro-negra, que em tão pouco tempo encantou a todos com suas incríveis apresentações, seja pelo Mais Querido ou representando a Seleção Brasileira, até sua chegada ao Flamengo.

Foto: Marcelo Cortes / Flamengo

O início
Ainda menina, Flavinha tinha o sonho de ser ginasta, enquanto assistia as apresentações de Daniele Hypólito e Daiane dos Santos. Aos oito anos, chamou atenção enquanto treinava em um projeto social para alunos de escolas públicas. Quando completou onze anos de idade, Flávia Saraiva decidiu deixar a Zona Norte do Rio de Janeiro para ir morar na cidade de Três Rios, no sul do Estado. Com a companhia de seu técnico e outros atletas, a rubro-negra passou a treinar no projeto ONG Qualivida/Três Rios, criado pela treinadora Georgette Vidor, atual coordenadora técnica da ginástica artística do Flamengo.  

Primeiras conquistas
Em dezembro de 2013, em sua segunda disputa de competição internacional, a ginasta conquistou o ouro no Solo e Trave de Equilíbrio, além da prata na competição por equipes no Gymnasiade Brasil. No ano seguinte, no WOGA Classics Texas, Flavinha ficou em primeiro lugar na Trave, em segundo com sua equipe e em quinto lugar no Individual Geral. Na mesma temporada, a pequena notável competiu no Campeonato Pan-Americano Júnior e garantiu a primeira colocação no Solo e no Individual Geral, ficando em segundo por Equipes e terceiro na Barra e na Trave.
Já em 2015, Flávia Saraiva fez sua estreia internacional pela Seleção Brasileira Sênior na Copa do Mundo de Ginástica, em São Paulo. Ela se sagrou campeã na prova de Solo e foi medalha de prata na Trave de Equilíbrio. Nos Jogos Pan-Americanos, a atleta garantiu o bronze no Individual Geral, com o Brasil também ficando com a terceira colocação na competição.

Chegada ao Flamengo
Em dezembro de 2015, Flávia Saraiva pisou pela primeira vez no ginásio Cláudio Coutinho, na Gávea, como convidada. Após alguns meses de conversas, a atleta passou a integrar a equipe de ginástica artística do Mais Querido, em março de 2016.  

Principais conquistas com o Manto Sagrado
Em junho de 2016, já defendendo o Rubro-Negro, Flavinha faturou dois ouros no Solo e na Trave na etapa de Portugal da Copa do Mundo de Ginástica, sendo a primeira conquista internacional da atleta (à serviço da Seleção Brasileira) vestindo o Manto Sagrado. No mesmo ano, ela terminou em quinto lugar na prova de Trave nos Jogos Olímpicos Rio 2016, um bom resultado para a primeira Olimpíada disputada. Em 2017, Flávia Saraiva continuou brilhando pela Seleção Brasileira e ficou com o bronze nas Barras Assimétricas, na Eslovênia, em etapa da Copa do Mundo da modalidade.
Na temporada seguinte, a ginasta alcançou a segunda colocação no individual geral nos Jogos Sul-Americanos de Cochabamba, na Bolívia. No mesmo ano, Flavinha disputou o Campeonato Brasileiro de Especialistas, pelo Rubro-Negro, e garantiu o ouro na Trave e a prata no Solo, além de conquistar o título brasileiro por equipes.

No ano passado, a atleta do Mais Querido repetiu a dose e conquistou o Brasileiro de Especialistas por equipes, além de assegurar o ouro na Trave e a prata nas Paralelas Assimétricas. Pela Seleção Brasileira, Flavinha ficou com o bronze no individual geral nos Jogos Pan-Americanos.Em outubro de 2019, no Campeonato Mundial da modalidade, em Sttutgart, na Alemanha, a ginasta ficou com a 10ª colocação no Individual Geral, classificando-se para a final e se garantindo nos Jogos Olímpicos de Tóquio. Na decisão, o 7º lugar foi o melhor resultado do Brasil na competição nos últimos 12 anos. Flávia também chegou à final do Solo e da Trave, terminando em 4º e 6º lugares, respectivamente.

A ginástica artística sempre foi uma das modalidades mais fortes e multicampeã do Mais Querido, contando com alguns nomes consagrados como os irmãos Hypólito. Atualmente, atletas de Seleção Brasileira como Jade Barbosa, Rebeca Andrade e Lorrane Dos Santos, além de Flávia, tornam a equipe rubro-negra principal ainda mais qualificada e pronta para disputar medalhas em todas as competições que participa. Desde sua chegada ao Rubro-Negro, Flavinha teve uma grande evolução técnica e hoje é um dos principais nomes do país na modalidade, sendo referência para os atletas mais jovens que estão dando os primeiros passos no esporte.

Ficha técnica

- Nome: Flávia Lopes Saraiva
- Modalidade: Ginástica Artística
- Idade: 20 anos
- Altura: 1,45m
- Naturalidade: Rio de Janeiro, RJ

As equipes de ginástica artística do Clube de Regatas do Flamengo contam com recursos de seus patrocinadores – AmBev, Rede D’or, IRB Brasil RE, CSN, Brasil Plural, EY – via Lei de Incentivo Federal/Ministério do Esporte (IR), além de apoio do Comitê Brasileiro de Clubes (CBC) proveniente da descentralização de recursos oriundos da Lei Pelé.