Libras

Notícias

Maurício Gomes de Mattos é o entrevistado desta segunda-feira na FlaTV

Confira o bate-papo com o vice-presidente de Embaixadas e Consulados

Por - em
Nesta segunda-feira (20)  foi a vez do vice-presidente de Embaixadas e Consulados do Flamengo, Maurício Gomes de Mattos, participar do bate-papo na FlaTV. Na live pela internet, o dirigente  falou sobre temas importantes e de como se curou do coronavírus. Confira: 

Números de Embaixadas e Consulados

"Atualmente o Flamengo tem 412 unidades entre Embaixadas e Consulados, sendo 25 delas no exterior. No mundo posso destacar  Fla-Porto, Fla-Miami, Fla-Paris, Fla-Espanha/Madri e a Fla-New Jersey. Pelo Brasil, a Fla-Campos (a maior delas, com um trabalho social fora de série), a Fla-Friburgo, a Fla-Floripa, onde o presidente Rodolfo Landim participou de uma ação com a presença de mil torcedores. Em dezembro do ano passado, no Mundial de clubes no Catar, tivemos ações nos dois pré-jogos nesta embaixada e reunimos aproximadamente mais de dois mil rubro-negros".

Referência na América do Sul

"Hoje esse nosso projeto é uma referência na América do Sul e isso se deve a filosofia que foi implantada, que deu muito certo. Quem faz tudo isso acontecer são nossos consuls e embaixadores espalhados por todo Brasil e no exterior. Essa vice-presidência de embaixadas e consulados não existia e quero agradecer a atual gestão pela criação dela, que nos fortaleceu ainda mais".

Próximos objetivos

"Nossa meta é chegar a cinco mil Embaixadas e Consulados em três quatro  anos. O Flamengo pode se tornar uma potência mundial e, para isso, conto com o apoio da FlaTV para nos acompanhar Brasil e mundo afora, quando as coisas voltarem ao normal" 

Covid-19

"Não poderia deixar de tocar nesse assunto muito ruim. Realmente tive o coronavírus e muito provavelmente peguei a covid-19 durante a viagem que fiz a Espanha, juntamente com o presidente Rodolfo Landim e o vice-presidente de comunicação e marketing, Gustavo Oliveira. No meu retorno ao Brasil passei muito mal quando estive num compromisso em Brasília onde fui internado. O exame que fiz deu positivo para está doença. O meu quadro se agravou porque tive uma pneumonia durante o tempo que estive internado. Passada duas semanas, recebi alta e um dia depois retornei ao Rio e segui direto para a minha casa em Angra, onde estou até agora isolado mesmo já estando  curado. Estou respeitando todas as orientações governamentais e saindo apenas para situações de extrema necessidade. O momento agora é de preservar nossas famílias, os mais idosos e torcer para que isso passe logo".