Libras

Notícias

A estrada para o Flamengo: Sarah Menezes

Por - em

Primeira mulher brasileira a conquistar o ouro olímpico no judô, em Londres 2012, Sarah Menezes chegou ao Flamengo em março de 2018 para fortalecer ainda mais os esportes olímpicos rubro-negros, elevando de nível a modalidade no clube. A piauiense de 30 anos, nascida em Teresina-PI, começou a praticar judô aos 9 e enfrentou certa resistência dos pais por ser considerado na época um esporte muito masculino. Com muita persistência e força de vontade, a atleta superou todos os obstáculos para se tornar a ‘menina de ouro’ do país.

A série ‘A Estrada para o Flamengo’ desta semana conta um pouco sobre a trajetória de uma das atletas mais vitoriosas do judô nacional, que desde a sua chegada ao clube, conseguiu elevar o nível de competitividade na modalidade.

Sarah Gabrielle Cabral de Menezes
- Modalidade: Judô
- Nascimento: 26/03/1990
- Peso: 52kg
- Naturalidade: Teresina, PI

Divulgação: Marcelo Cortes/Flamengo

O início
Sarah Menezes nasceu em um bairro localizado na periferia de Teresina, no Piauí, e desde cedo encontrou algumas dificuldades no esporte. No início, aos nove anos de idade, seus pais eram resistentes à ideia da filha praticar judô, por considerarem uma modalidade ‘masculinizada’. Com o tempo, recebendo o apoio da família e de seu treinador Expedito Falcão, a piauiense conseguiu superar os obstáculos e contrariou a todos que duvidavam de sua capacidade.

A atleta passou por situações complicadas, principalmente financeiramente, até ganhar notoriedade no esporte olímpico. Para participar das seletivas regionais e nacionais, Sarah precisava de investimentos para bancar os custos necessários, o que era difícil na época. Mesmo com todas as dificuldades, a piauiense não desistiu e continuou em busca de seu sonho.

Ao conquistar resultados expressivos no tatame, a judoca chamou a atenção da Confederação Brasileira de Judô (CBJ), que reconheceu o potencial da atleta e a convocou para integrar a Seleção Brasileira. A partir daí a situação melhorou um pouco, porém, mesmo com todo reconhecimento nacional, conseguir patrocínios ainda era um grande desafio.

Primeiras conquistas
A trajetória de Sarah é repleta de ótimos resultados. A atleta garantiu medalhas de ouro nas duas etapas da Copa do Mundo de judô, em Lisboa e Madri, ambas disputadas em 2009.

No ano seguinte, a piauiense continuou brilhando e faturou mais duas medalhas em novas etapas da Copa do Mundo: uma prata em Budapeste e um ouro em São Paulo. Já nos Jogos Pan-Americanos de Guadalaraja (2011), no México, a judoca ficou com a medalha de bronze.

Ao completar 18 anos, Sarah Menezes alcançou o ápice de sua carreira. Nos Jogos Olímpicos de Londres (2012), a atleta derrotou a romena Alina Dumitru na grande final e se tornou a primeira mulher brasileira a conquistar o ouro olímpico na modalidade. Além disso, ela também conseguiu o topo do pódio nos Jogos Mundiais Militares (2013).

Chegada ao Flamengo
Sarah Menezes chegou ao Rubro-Negro como uma parte importante do projeto “Inspiração 2020/2024 – Ídolo gera craque feito em casa”, com objetivo de fortalecer os esportes olímpicos. Através de um contato feito por Rosicleia Campos, treinadora do Flamengo e da Seleção Brasileira, a atleta demonstrou o interesse de vir treinar no clube. De uma família quase 100% rubro-negra, a campeã olímpica se adaptou rapidamente ao clube e aos demais atletas.

Principais conquistas com o Manto Sagrado
Em abril de 2018, já vestindo as cores rubro-negras, Sarah Menezes conquistou a medalha de bronze no Grand Prix de Tbilisi, realizado na Geórgia. À serviço da Seleção Brasileira, a judoca competiu na categoria Ligeiro (48 kg), após passar por uma experiência na Meio-Leve (52 kg). Na semana seguinte, a piauiense subiu mais uma vez no pódio, ficando novamente em terceiro lugar no Grand Prix de Antália, na Turquia.

Em competições nacionais, a rubro-negra estreou com tudo e assegurou a medalha de ouro no Campeonato Carioca de Judô, vencendo os adversários por ippon e por waza-ari na categoria até 48 kg. Ainda em 2018, a campeã olímpica disputou o Brasileiro de Judô, na Bahia, onde terminou com o bronze. Na última competição do ano, Sarah venceu a Seletiva Olímpica do ciclo Tóquio 2020 e garantiu vaga na equipe que representou o Brasil durante a temporada 2019.

No início do ano passado, a judoca continuou mostrando todo o seu talento e conquistou a medalha de ouro no Torneio Abertura do Estadual, voltando a atuar pela categoria Meio-Leve (52 kg). Com o resultado, Sarah assegurou vaga para o Brasileiro Regional. Em maio do mesmo ano, a rubro-negra chegou novamente ao lugar mais alto do pódio na 2ª Etapa do Estadual, vencendo suas três lutas na classe Sênior. Ela também ajudou o Mais Querido a garantir o título da 2ª Etapa do Circuito Rio de Janeiro da modalidade. Já em julho, Sarah Menezes representou a Seleção Brasileira no Grand Prix de Montreal, no Canadá, e ficou com o bronze ao vencer a adversária com um waza-ari, pela categoria 52 kg.

Com o adiamento das Olimpíadas de Tóquio, a rubro-negra terá mais tempo para se dedicar aos treinos. A atleta sonha em repetir o feito de Londres e conquistar novamente o ouro olímpico, agora pela categoria até 52 kg.

Desde que chegou ao Mais Querido, a piauiense conta com toda a estrutura necessária para um atleta de alta performance evoluir ainda mais. Além de tornar o judô rubro-negro ainda mais forte, a campeã olímpica ainda serve de espelho para os atletas mais jovens que sonham um dia ter uma trajetória de sucesso na modalidade.  


As equipes de judô do Clube de Regatas do Flamengo contam com recursos de seus patrocinadores – Estácio, AmBev, Rede D’or – via Lei de Incentivo Federal/Ministério do Esporte (IR) e Lei de Incentivo Estadual/Secretaria de Estado de Esporte, Lazer e Juventude (Seelje) do Rio de Janeiro, além de apoio do Comitê Brasileiro de Clubes (CBC) proveniente da descentralização de recursos oriundos da Lei Pelé.