Libras

Notícias

Vencedora do Prêmio Brasil Olímpico, Maria Clara Lobo exalta o Anjo da Guarda Rubro-Negro

Nadadora artística falou sobre a importância do programa para os esportes olímpicos do Flamengo

Por - em
No Flamengo desde 2010, a nadadora artística Maria Clara Lobo é, hoje, uma referência no esporte. A rubro-negra subiu ao pódio em todos os campeonatos brasileiros que participou desde 2013 e já conquistou diversos títulos importantes pela Seleção Brasileira, como o ouro por equipes do Sul-Americano Absoluto, em 2016, e as pratas no Dueto Livre e no Dueto Técnico nos Jogos Sul-Americanos de Cochabamba, em junho deste ano. A atleta também integrou a equipe que disputou as Olimpíadas do Rio 2016. Para completar, na última terça-feira (17), Maria venceu pela segunda vez consecutiva o Prêmio Brasil Olímpico como a melhor atleta de nado artístico do Brasil. 



Aos 20 anos, Maria Clara passou por todas as categorias de base do Mais Querido, sendo contemplada pelo Anjo da Guarda Rubro-Negro desde sua criação, em 2013. O programa foi fundamental na trajetória da atleta, que pôde usufruir de equipamentos de ponta, excelentes treinadores e transporte e estadia em competições, entre diversos outros componentes relevantes na formação de um atleta olímpico, graças aos recursos captados.

“O projeto é incrível e muito importante, é um grande incentivo desde a base até o alto rendimento. O Anjo da Guarda possibilitou que participássemos de várias competições e ajudou muito no desempenho de todos os atletas dos esportes olímpicos do Flamengo”, afirmou Maria.

“Esse ano conquistei ótimos resultados e finalizei ganhando pela segunda vez consecutiva o Prêmio Brasil Olímpico da minha modalidade. O apoio do Anjo da Guarda e a continuidade do projeto foram essenciais para que eu tenha conseguido chegar até os Jogos Olímpicos em 2016 e depois continuar tendo bons resultados”, concluiu.


Além de Maria Clara, cerca de 650 atletas de nove modalidades são beneficiados por ano. O Anjo permite que a pessoa física apoie a formação de centenas de atletas e cidadãos sem gastar nada, redirecionando até 6% do seu imposto de renda para os esportes olímpicos do Flamengo.

As equipes de nado artístico do Clube de Regatas do Flamengo contam com recursos de seus patrocinadores – Banco Bonsucesso, Furnas, Estácio, LafargeHolcim/Cimento Mauá, EY – via Lei de Incentivo Federal/Ministério do Esporte (IR), além de apoio da Confederação Brasileira de Clubes (CBC) proveniente da descentralização de recursos oriundos da Lei Pelé.