Libras

Notícias

Flamengo conquista oito ouros no Torneio de Rotinas Técnicas

Competição aconteceu neste fim de semana no Tijuca Tênis Clube

Por - em
As equipes de nado artístico do Flamengo brilharam novamente neste fim de semana. No Torneio de Rotinas Técnicas da Federação Aquática do Rio de Janeiro (FARJ), o Mais Querido conquistou 13 medalhas, sendo oito ouros, três pratas e dois bronzes. A competição foi disputada na piscina do Tijuca Tênis Clube.

Comandadas por Marina Valadão, as atletas do Infantil foram responsáveis por quatro pódios, enquanto as Juvenis subiram em dois, incluindo a prata por Equipe Nível A, com 58,2219 pontos. O grupo foi composto por Graziely dos Santos, Jaddy Milla, Manuella de Menezes, Julia Bouças, Ana Clara de Almeida, Emily dos Santos e Nicole Shinohara. Graziely ficou ainda com o bronze no solo, ao somar 58,4365 pontos. 

O Infantil garantiu os ouros por Equipe Nível A (48,1362), com Ana Clara, Emily, Nicole e Thamirys da Conceição; por Equipe Infantil Principiante (35,8973), com Giovana Leal, Luiza Araújo, Sofia Shinohara, Daniela Irigoyen e Hannah Sukman; e no Solo de Ana Clara Almeida (54,5968); além da prata no Solo de Nicole Shinohara (53,3674).

Treinadas por Roberta Perillier, as atletas Sênior e Júnior conquistaram o primeiro lugar por Equipe Nível A (78,7109 e 66,9916 respectivamente). Aline Vieira, Gabriela Regly, Giovanna Stephan, Jéssica Noutel, Lorena Molinos, Maria Clara Lobo, Maria Eduarda Micucci e Laryssa Cerruti integraram o grupo Sênior. No Solo Júnior, Jullia Catharino garantiu o primeiro lugar e Rebecca Rodrigues, o segundo, enquanto no Sênior, ouro para Giovanna Stephan e bronze para Juliana Damico. Giovanna subiu mais uma vez no lugar mais alto do pódio ao lado de Renan Alcântara no Dueto Misto, fechando as conquistas do Mais Querido na competição.

As equipes de nado artístico do Clube de Regatas do Flamengo contam com recursos de seus patrocinadores – Banco Bonsucesso, Furnas, Estácio, LafargeHolcim/Cimento Mauá, EY – via Lei de Incentivo Federal/Ministério do Esporte (IR), além de apoio da Confederação Brasileira de Clubes (CBC) proveniente da descentralização de recursos oriundos da Lei Pelé.