Libras

Notícias

Renan Alcântara analisa desempenho do Dueto Misto brasileiro no French Open de nado artístico

Ao lado de Giovana Stephan, dupla rubro-negra conquista a medalha de bronze na competição

Por - em
Giovana e Renan recebem medalha de bronze ao lado da técnica Roberta Perillier (à esquerda).O sucesso continua! Mais uma vez, os rubro-negros Renan Alcântara e Giovana Stephan fizeram bonito em uma competição internacional à serviço da Seleção Brasileira. No French Open de nado artístico, que aconteceu entre os dias 1 e 3 de março em Paris, os atletas do Mais Querido realizaram uma apresentação de encher os olhos e garantiram a medalha de bronze no Dueto Misto, somando 76.8835 pontos para a equipe nacional.

Em novembro do ano passado, a dupla rubro-negra já havia conquistado o ouro no Sul-Americano da modalidade, realizado no Peru. Já em dezembro, desta vez com as cores rubro-negras, Renan e Giovana brilharam nas piscinas do Parque Aquático Maria Lenk e foram os campeões brasileiros Sênior na prova de Dueto Misto.

Ao Site Oficial, Renan Alcântara analisou o desempenho da dupla nas piscinas francesas e destacou a importância da parceria com Giovana Stephan.

“A competição foi incrível para o Dueto Misto brasileiro, conquistamos a medalha de bronze e estamos evoluindo a cada dia mais para a disputa do Campeonato Mundial, em julho. A Giovana me ensina muito no dia a dia, somos bem próximos, confiamos muito um no outro e estamos focados para brilhar nas próximas competições que estão por vir. Agora que retornamos aos treinos na Gávea, estamos estudando as novas táticas para aprimorar ainda mais as nossas apresentações”, disse o rubro-negro.

O 18º Campeonato Mundial de Esportes Aquáticos acontecerá entre os dias 12 e 20 de julho, em Gwangju, na Coreia do Sul. Mais um importante desafio internacional onde a dupla rubro-negra, mais uma vez, terá a oportunidade de mostrar todo seu talento para trazer novas medalhas na bagagem para o Brasil. 


As equipes de nado artístico do Clube de Regatas do Flamengo contam com recursos de seus patrocinadores – Banco Bonsucesso, Furnas, Estácio, LafargeHolcim/Cimento Mauá, EY – via Lei de Incentivo Federal/Ministério do Esporte (IR), além de apoio da Confederação Brasileira de Clubes (CBC) proveniente da descentralização de recursos oriundos da Lei Pelé.