Libras

Notícias

Renan Alcântara é referência no Nado Artístico masculino

Rubro-negro integra a Seleção Brasileira e inspira novos atletas na modalidade

Por - em
Compondo a equipe da Seleção Brasileira de nado artístico há três anos, Renan Alcântara é o maior nome masculino da modalidade no Brasil atualmente. Em 2017, o rubro-negro fez história no Campeonato Mundial de Esportes Aquáticos, em Budapeste, na Hungria. Ao lado de Giovana Stephan, também do Mais Querido, Renan formou o primeiro Dueto Misto do país no torneio. Os atletas fizeram duas grandes apresentações que encantaram os torcedores e, após avançarem na fase classificatória, chegaram à sétima colocação na competição, a melhor do nado nacional em todas as edições da competição.

Desde então, Renan coleciona títulos nas provas de dueto e individuais. Em novembro, ele conquistou a medalha de ouro no Dueto Misto do Campeonato Brasileiro de Categorias, novamente com Giovana Stephan. Em meados de abril, mais um primeiro lugar, desta vez, no individual masculino do Festival de Solo Técnico, realizado na sede do clube, na Gávea. 

São conquistas como essas que fazem de Renan referência da modalidade no Brasil. Integrando a Seleção Brasileira por mais uma temporada, o rubro-negro é o único homem a representar o país em competições internacionais até então. Entretanto, na última semana, outros atletas foram convidados a participarem dos treinamentos da equipe comandada por Roberta Perillier, técnica do Flamengo e do time nacional.

“Todos os meninos que participaram ano passado do Campeonato Brasileiro foram convocados para treinar uma semana com a seleção para adquirir mais técnica, experiências novas dentro d’água, conhecer mais a rotina do grupo e dos atletas, melhorar elementos do solo e aprender as coreografias, tanto de equipe quanto de dueto”, explicou Renan. 

Para o rubro-negro, os outros quatro nadadores – que vieram de clubes do Rio de Janeiro, João Pessoa e Maceió - são como um espelho de tempos passados. Ele se recorda bem de seu início no esporte e fala com carinho da oportunidade de conviver com os jovens colegas. 

“Está sendo uma experiência muito gratificante poder ajudar outros meninos que vieram do zero, assim como eu, me vejo muito na situação deles. Eu tive pessoas que me ajudaram bastante nessa caminhada, a Roberta (Perillier) foi uma delas. Hoje, passar tudo que aprendi para outros tem sido incrível para mim, estou muito feliz com isso. Eles me ensinam muito e eu estou ensinando tudo que eu posso a eles”, afirmou o atleta.

A Seleção Brasileira promove uma semana de treinamentos por mês no Parque Aquático Maria Lenk, sede do Nado Artístico nas Olimpíadas do Rio em 2016. O primeiro compromisso internacional do ano será a disputa dos Jogos Sul-Americanos, entre os dias 2 e 6 de junho, em Cochabamba, na Bolívia. Além de Renan, o Flamengo é representado na equipe nacional também por Gabriela Regly, Giovana Stephan, Jaddy Milla, Juliana Damico, Jullia Catharino, Laura Micucci, Lorena Molinos, Maria Clara Lobo, Maria Eduarda Micucci e Rebecca Rodrigues.

As equipes de nado artístico do Clube de Regatas do Flamengo contam com recursos de seus patrocinadores – Banco Bonsucesso, Furnas, Estácio, LafargeHolcim/Cimento Mauá, EY – via Lei de Incentivo Federal/Ministério do Esporte (IR), além de apoio da Confederação Brasileira de Clubes (CBC) proveniente da descentralização de recursos oriundos da Lei Pelé.