Libras

Notícias

Flamengo estreita parceria com COB e lança Núcleo Fla Barra de Natação

Parque Aquático Maria Lenk será utilizado por atletas rubro-negros na Zona Oeste

Por - em
A casa dos grandes atletas olímpicos do Brasil nos esportes aquáticos, o Parque Aquático Maria Lenk, agora é também do Flamengo. No início de março, o complexo passou a funcionar como o Núcleo Fla Barra de Natação, comandado pelo treinador Luís Flávio Provençano. O Mais Querido implementa o projeto sendo o primeiro clube do país a cumprir as exigências do Comitê Olímpico do Brasil para utilização do Maria Lenk.

Segundo o Diretor de Esportes Olímpicos, Marcelo Vido, o objetivo do convênio é garantir o futuro do esporte na instituição e no país. 

“O Flamengo, um dos principais clubes formadores de atletas olímpicos do Brasil,e o COB estreitam a parceria iniciada com a ginástica artística e o remo, dentre outras modalidades, com o início do Núcleo de Natação no Maria Lenk visando desenvolver atletas de alto rendimento para as futuras Seleções Brasileiras para participarem dos Jogos Sul Americanos, Pan-Americanos e Olímpicos”, afirmou o dirigente.

Desde 2008, o Rubro-Negro busca aumentar seu plantel de atletas, principalmente nas categorias de base, na região da Zona Oeste do Rio de Janeiro, visto que uma das principais políticas do clube é a formação. Porém, com o grande tempo de deslocamento dos jovens moradores da região para a Gávea, identificou-se a necessidade de promover essa extensão da natação do Mais Querido. Com passagens pelas seleções Brasileira e Carioca da modalidade, Provençano chega ao clube para comandar o Núcleo Fla Barra com o principal objetivo de formar novos talentos para o esporte. Além do técnico, 12 novos nadadores irão reforçar ainda mais a equipe rubro-negra, formando o plantel de 16 nadadores.
 
“A proposta é ajudar os atletas que moram na Barra e adjacências, para que eles não precisem se deslocar até à Gávea, pois a ideia é que os nadadores possam treinar comigo no Parque Aquático Maria Lenk. As expectativas para essa temporada são as melhores possíveis, porque continuo com todos os meus atletas que estavam comigo no ano passado e começo com os outros que já estavam no clube, que são de alto nível. Assim, eu só posso acreditar no sucesso desta equipe”, destacou o treinador.

O projeto é totalmente integrado às equipes rubro-negras da Gávea, já que, pelo menos uma vez por semana, os atletas e o treinador do Núcleo Fla Barra de Natação estarão na sede, inseridos em suas categorias e em intercâmbio com os demais técnicos e nadadores do clube. Além disso, o Fla Barra faz parte do novo modelo de utilização do Centro de Treinamento, regulamentado pelo COB. De acordo com o Comitê Olímpico do Brasil, o Parque Aquático Maria Lenk está aberto à utilização para todos os clubes filiados ao sistema esportivo nacional. Atletas nas seguintes categorias estão aptos a utilizarem o espaço:

- Integrantes de seleções nacionais de categoria adulta ou de formação;
- Federados por entidades de prática esportiva registradas nas confederações nacionais filiadas ao COB;
- Atletas internacionais, em ações de intercâmbio;

Os atletas deverão ser referendados, via ofício, pela Confederação Brasileira da respectiva modalidade, atendendo por completo sua condição de elegibilidade o que inclui não estarem cumprindo punições de caráter disciplinar ou suspensão por infração a normas de dopagem, além da sua inclusão nominal em critérios técnicos específicos estabelecidos para cada modalidade por sua respectiva Confederação, e devidamente aprovados pelo COB, tais como idade, índice, ranking e/ou potencial.
 
Luís Flávio Provençano foi técnico da Seleção Brasileira na Copa UANA 2018, nos Estados Unidos; da Seleção Brasileira Júnior no Sul-Americano 2017 em Cali, na Colômbia; da Seleção Carioca de 2017 e da Seleção Brasileira de Maratonas Aquáticas no Mundial do Canadá em 2012. O rubro-negro é também professor de Biomecânica dos 4 Nados da UNISAUDE/RJ e Master Coach da LF Nadadores desde 2011.

As equipes de natação do Clube de Regatas do Flamengo contam com recursos de seus patrocinadores – AmBev, Furnas e Rede D’or – via Lei de Incentivo Federal/Ministério do Esporte (IR), além de apoio do Comitê Brasileiro de Clubes (CBC) proveniente da descentralização de recursos oriundos da Lei Pelé.