Libras

Notícias

"Foi a medalha mais dura da minha vida"

Cielo desabafa e revela que ouro nos 50 m borboleta no Mundial foi uma benção

Por - em
Após bater em primeiro lugar nos 50 m borboleta no Mundial de Xangai, Cesar Cielo conseguiu vencer não só seus adversários, mas toda e qualquer desconfiança que poderia ter surgido em torno de seu nome após o último mês conturbado. O nadador do Flamengo gritou, chorou e agradeceu aos céus pela vitória. Até porque classificou o ouro como uma benção.

Já no pódio, Cesão se emocionou novamente ao ouvir o hino nacional, vendo a bandeira brasileira sendo hasteada no lugar mais alto.

"Foi a medalha mais dura da minha vida. Eu imaginei essa cena várias vezes, mas chega a hora e você não sabe o que vai fazer. Esse ouro, definitivamente, tem um gosto diferente dos outros. Foi, provavelmente, a medalha mais difícil que eu conquistei na minha vida. Eu sabia que ia competir contra os melhores do mundo e ser capaz de competir depois do que eu passei nesse mês é uma bênção", afirmou Cielo, que está orgulhoso de seu resultado.

"Com o que aconteceu, foi uma hora para testar o quanto eu podia aguentar e se seria capaz de me levantar de novo. Estou realmente orgulhoso de mim por ter feito isso".

Cesar Cielo nadou na raia 4, ao lado do australiano Geoff Huegill, na 5, e do francês Florent Manaudou, na 3. Cielo vinha credenciado pelo melhor tempo do mundo no ano (22s98), feito no Paris Open, em junho, das eliminatórias (23s26) e das semifinais (23s19), em Xangai, feitos no domingo. Cielo cumpriu seu ritual: fez o sinal da cruz, se bateu e enxugou o bloco de partida antes da largada. Teve 0s66 como tempo de reação, nadou na frente do início ao fim, mesmo sem abrir grande vantagem, sem sofrer ameaças dos adversários.

O nadador do Flamengo ainda competirá nos 50 m e nos 100 m livre em Xangai, provas em que é o atual campeão mundial. Cielo, que também é o recordista mundial das duas distâncias, fará as eliminatórias dos 100 m livre na terça-feira e a dos 50 m livre na quinta-feira.