Libras

Notícias

Flamengo tem cinco representantes no polo aquático nos Jogos Pan-Americanos de Lima

Atletas e treinadores do Mais Querido estarão presentes na principal competição das Américas

Por - em
O Flamengo terá cinco representantes na competição de polo aquático dos Jogos Pan-Americanos de Lima, no Peru, em ambos os naipes. Samantha Rezende, Heitor Carrulo, Slobodan Soro, George Chaia e Illana Pinheiro são os rubro-negros que estarão à serviço da Seleção Brasileira, a partir do dia 4 de agosto, em busca de medalhas e a classificação para as Olimpíadas de Tóquio 2020.

Illana e Chaia fazem parte da comissão técnica brasileira feminina e masculina, respectivamente. Heitor está entre os treze atletas que compõem a delegação nacional, enquanto Soro, goleiro sérvio que disputou o Brasil Open pelo Flamengo, é titular da seleção. Já Samantha é uma das grandes revelações do time brasileiro feminino. Ela falou sobre as expectativas para a disputa do Pan-Americano.

“Vamos encontrar adversários bem fortes pela frente e nosso objetivo é ser competitivas ao máximo, fazendo boas partidas e sempre com o pensamento em conquistar resultados positivos. Essa é a nossa chance de garantir a vaga nas Olimpíadas de Tóquio 2020, sabemos que não será fácil, mas estamos bem treinadas e com muita vontade”, destacou a rubro-negra.

Na primeira fase da disputa masculina, o Brasil está no grupo B ao lado de Argentina, México e Peru. Já no feminino, as meninas brasileiras ficaram no grupo A, com Estados Unidos, Porto Rico e Venezuela.

Confira as partidas da fase de grupos do polo aquático nos Jogos Pan-Americanos:

Feminino:
04/08 às 10h – Brasil x Venezuela
05/08 às 13h – Brasil x Estados Unidos
06/08 às 10h – Brasil x Costa Rica

Masculino:
04/08 às 18h30 – Peru x Brasil
05/08 às 18h30 – México x Brasil
06/08 às 21h30 – Brasil x Argentina

As equipes de nado artístico do Clube de Regatas do Flamengo contam com recursos de seus patrocinadores – Banco Bonsucesso, Furnas, Estácio, LafargeHolcim/Cimento Mauá, EY – via Lei de Incentivo Federal/Ministério do Esporte (IR), além de apoio da Confederação Brasileira de Clubes (CBC) proveniente da descentralização de recursos oriundos da Lei Pelé.