Libras

Notícias

Seleção Brasileira de polo aquático fica com o bronze nos Jogos Pan-Americanos

Com participações de rubro-negros, equipes feminina e masculina terminam em terceiro lugar

Por - em
A Seleção Brasileira feminina e masculina de polo aquático conquistou a medalha de bronze na disputa pelo terceiro lugar nos Jogos Pan-Americanos de Lima. Os atletas Heitor Carrulo, Samantha Rezende e Slobodan Soro, além dos treinadores George Chaia e Illana Pinheiro foram os representantes rubro-negros que participaram da campanha brasileira na competição.

As partidas que levaram o Brasil ao pódio foram realizadas no sábado (10). As meninas venceram Cuba por 8 a 7, enquanto os meninos superaram a Argentina por 9 a 6. Chaia, membro da comissão técnica brasileira do masculino, fez uma análise sobre o desempenho da equipe.

“Na verdade, não foi o resultado que gostaríamos, perdemos a semifinal para o Canadá por um gol de diferença, tomamos a virada no final da partida. Nosso objetivo era fazer a final com os Estados Unidos, mas não foi possível. Acredito que fizemos um bom Pan-Americano, mostrando que o Brasil está no caminho certo para conseguir coisas boas em breve”, declarou o rubro-negro.

Vídeo-analista da equipe feminina, Illana Pinheiro também destacou o bronze conquistado pelas brasileiras.

“Acredito que o terceiro lugar era o nosso objetivo, pois sabíamos que provavelmente enfrentaríamos Cuba, e ainda não tínhamos conseguido ganhar delas neste ano, mas conseguimos a vitória na competição mais importante. Acho que a campanha foi dentro do esperado, é um time novo que tem muito a evoluir ainda”, disse.

Com o resultado, os times feminino e masculino do Brasil disputarão o pré-olímpico mundial para definir as seleções que estarão nas Olimpíadas de Tóquio 2020.


As equipes de nado artístico do Clube de Regatas do Flamengo contam com recursos de seus patrocinadores – Banco Bonsucesso, Furnas, Estácio, LafargeHolcim/Cimento Mauá, EY – via Lei de Incentivo Federal/Ministério do Esporte (IR), além de apoio da Confederação Brasileira de Clubes (CBC) proveniente da descentralização de recursos oriundos da Lei Pelé.