Libras

Notícias

Flamengo recebe os remadores medalhistas nos Jogos Pan-Americanos de Lima

Willian Giaretton e Fabio Moreira retornaram ao Mais Querido com o bronze

Por - em
Os rubro-negros Willian Giaretton e Fabio Moreira estão de volta ao Mais Querido após conquistarem a medalha de bronze com o barco 4 Sem Masculino nos Jogos Pan-Americanos de Lima. Na manhã desta terça-feira (13), os atletas se reapresentaram na sede de remo do clube, exibiram as medalhas e pousaram para fotos.

Fabio e Willian comentaram sobre a participação no Pan e prometem treinar forte para garantir uma vaga nas Olimpíadas de Tóquio 2020.

“A experiência foi incrível, imensurável. Foi a primeira vez que disputei o Pan-Americano, e conquistar o bronze foi muito satisfatório, porque treinamos diariamente com muita dedicação. Nosso objetivo era o ouro, infelizmente não conseguimos, mas ficamos bastante satisfeitos com o terceiro lugar no pódio. Agora em setembro, os treinamentos de campo irão começar e definirão os barcos que estarão qualificados para as Olimpíadas 2020. As competições estaduais e nacionais também serão muito importantes para desenvolver o nosso trabalho”, destacou Fabio.

“Foi realmente bem diferente do habitual das competições das quais já participei, como a Copa do Mundo e as Olimpíadas Rio 2016. Nós saímos daqui com a expectativa de medalha, onde tentamos o ouro, que não veio por muito pouco. Foi uma experiência muito boa para o nosso grupo, a diferença entre o primeiro e o terceiro foi bem pequena. Acreditamos que estamos no caminho certo e vamos continuar esse trabalho duro para colher bons resultados mais à frente”, disse Giaretton, que continuou. 

“Eu e o Fabio nos conhecemos desde 2007, que foi a primeira vez em que nos confrontamos diretamente através de clubes diferentes, e desde então viramos muito amigos. Esse ano foi a primeira vez que remei com ele e queremos continuar essa parceria nos 4 Sem para buscar uma vaga nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020”, finalizou.

Marcello Varriale, gerente de esportes náuticos do Flamengo, também destacou a importância deste projeto de qualificação dos atletas rubro-negros para a Seleção Brasileira da modalidade.

“O projeto teve início neste ano com a chegada do treinador alemão. Ele teve apenas seis meses para trabalhar com esses atletas e mesmo assim conseguiu evoluir muito, tanto é que conseguiram o bronze ficando apenas 0.6 segundos atrás do segundo colocado. Sinal de que estamos no caminho certo e espero que eles tenham um resultado importante no próximo Pan de 2023, além de conseguir a qualificação olímpica para Tóquio 2020. Estamos acreditando muito neste projeto, pois o Flamengo tem um interesse muito grande de fazer em conjunto com outros clubes através de uma parceria, que sem dúvida é um projeto inédito que pode contribuir muito para o remo brasileiro”, explicou Varriale.

Vale lembrar que os irmãos Xavier e Pau Vela também garantiram medalhas no Pan-Americano. A dupla rubro-negra ficou com a prata na prova Dois Sem. 


As equipes de remo do Clube de Regatas do Flamengo contam com recursos de seus patrocinadores – Estácio, AmBev e Rede D’or – via Lei de Incentivo Federal/Ministério do Esporte (IR) e Lei de Incentivo Estadual/Secretaria de Estado de Esporte, Lazer e Juventude (Seelje) do Rio de Janeiro, além de apoio do Comitê Brasileiro de Clubes (CBC) proveniente da descentralização de recursos oriundos da Lei Pelé.