Libras

Notícias

Sesc RJ Flamengo vira para cima do Barueri e vence a sétima seguida na Superliga feminina de vôlei

Equipe do técnico Bernardinho conseguiu se recuperar e venceu o adversário paulista por 3 sets a 1 nesta segunda-feira

Por - em

Em uma bela virada, o Sesc RJ Flamengo superou o Barueri Vôlei por 3 sets a 1 (21/25, 25/18, 25/17 e 25/22) na noite desta segunda-feira (07.03), no ginásio do Tijuca Tênis Clube. Após fazer uma primeira parcial abaixo do que vinha apresentando, o time do técnico Bernardinho, que vestiu um uniforme rosa em homenagem ao Dia Internacional da Mulher, comemorado nesta quarta (08.03), dominou o adversário e incendiou a torcida, cada vez mais presente e participativa na campanha de recuperação no segundo turno da Superliga feminina de vôlei. Agora são sete vitórias seguidas, 42 pontos e o quinto lugar – ao menos – garantido.


Foto: Gilvan de Souza / CRF

Eleita a melhor em quadra, a ponteira Gabiru foi o exemplo da virada de chave do Sesc RJ Flamengo no jogo. Ao entrar no lugar de Maira, aniversariante do dia, ainda no primeiro set, ela deu mais consistência ao time rubro-negro e estabilizou a boa distribuição da levantadora Giovana. Resultado: mais um triunfo e uma grande expectativa para fechar a fase de classificação em alta.

“A gente sabia que seria um jogo difícil. Quem entra em quadra, entra pra dar o seu melhor e ajudar o time. Hoje eu tive essa felicidade, de ajudar minhas companheiras. No início, estávamos muito esperando o jogo acontecer. Começamos a diminuir os erros, sacamos melhor e mudamos a postura. Passamos a fazer o jogo acontecer. Apesar de ter começado bem mal, ainda tivemos chance de vencer o primeiro set. Erramos duas bolas ali, no finalzinho, que não poderíamos ter errado, mas deu tudo certo e vencemos o jogo”, analisou Gabiru, já de olho na fase decisiva da Superliga.

“Estamos mais consistentes como time e pensando em crescer ainda. Temos mais um jogo pela fase de classificação, contra o Pinheiros, e aí vem o playoff. E nesse momento da competição é fundamental contar com essa força da torcida. Vamos precisar muito disso, ter essa força a mais com o time”, encerrou Gabiru.

Este foi o último compromisso em casa do Sesc RJ Flamengo na fase de classificação da Superliga feminina. O último compromisso, diante do Pinheiros, será apenas dia 18, em São Paulo. Até lá, Bernardinho terá um bom tempo para preparar ainda melhor sua equipe.

O jogo
Instável, o Sesc RJ Flamengo até conseguiu comandar o placar no primeiro set. Ao menos até pouco antes da metade, quando fez 11-9 e Zé Roberto pediu tempo. A partir daí, o time de Barueri emplacou uma grande sequência de pontos, principalmente na passagem da central Diana pelo saque, e chegou a 14-21. A equipe rubro-negra chegou a ensaiar uma reação, chegou a fazer 20-22, mas desperdiçou um contra-ataque decisivo com Peña. Final 25-21 Barueri, em um bloqueio de Lorena (Ao todo foram seis blocks do time visitante só na parcial).

Mas o revés não abalou o Sesc RJ Flamengo, que comandou o segundo set praticamente de ponta a ponta. Após abrir uma pequena vantagem na metade da parcial (12-10), o time de Bernardinho contou com uma sequência de saques venenosos de Milka para chegar a 19-10. E aí só administrou a vantagem: 25-18.

Pressionadas, as jovens do Barueri sentiram na terceira parcial. Apesar de um início equilibrado, começaram a cometer sucessivos erros (Foram 13 na parcial). Depois de estarem com dois pontos na frente do placar (4-6), permitiram a virada do Sesc RJ Flamengo para 9-6, em uma china de Juciely. A partir daí, só deu a equipe rubro-negra. Em uma invasão mal marcada pelo árbitro, o placar chegou a 12-8. Em um bloqueio, Juciely marcou 20-13. E o triunfo estava certo: 25-17.

No último e decisivo set, muito equilíbrio. Depois de estar perdendo por 1-4, o Sesc RJ Flamengo foi reconstruindo seu jogo até empatar em 6-6, em dois pontos seguidos de Peña. Em três pontos seguidos de Gabiru, abriu 12-10, mas o time paulista foi buscar. Com um erro da mesma Gabiru o placar virou: 14-15. Só que era dia rubro-negro e a maior experiência pesou no momento decisivo. Milka em um bloqueio fez 19-18, Peña ampliou numa largada: 201-8. E o jogo fechou com Monique: 25-22.